Schneider Electric constrói Centro de Dados ecológico

Data StorageInovaçãoTecnologia Verde

Situado num antigo depósito de munições da OTAN, no interior de uma montanha junto a um fiorde da Noruega, o Centro de Dados Green Mountain preenche os requisitos necessários para ser considerado uma infraestrutura de alta segurança e extremamente ecológica. Um segundo Centro de Dados foi também recentemente construído em Rjukan, um local industrial histórico situado

Situado num antigo depósito de munições da OTAN, no interior de uma montanha junto a um fiorde da Noruega, o Centro de Dados Green Mountain preenche os requisitos necessários para ser considerado uma infraestrutura de alta segurança e extremamente ecológica. Um segundo Centro de Dados foi também recentemente construído em Rjukan, um local industrial histórico situado nas terras altas norueguesas, também conhecido como a cidade onde o sol nunca brilha durante o Inverno.

flyfoto1

A Schneider Electric, especializada em gestão de energia, trabalhou em parceria com a entidade Green Mountain AS para a construção daquele que é considerado como o Centro de Dados mais ecológico do mundo. É um centro de Tier III+, livre de operadores e de alta segurança, localizado em Rennesøy, perto de Stavanger, a “capital do petróleo” da costa oeste da Noruega.

O Green Mountain de Rennesøy tem 21.000 metros quadrados, localizados no interior de uma montanha num antigo depósito de munições da NATO de alta segurança o que cria uma localização única. Além disso, a proximidade ao fiorde cria uma oportunidade de refrigeração eficiente e natural – o que o torna altamente sustentável.

No local encontram-se seis montanhas às quais é possível acessar subindo por túneis de 100 metros de comprimento, na direção do coração da montanha. A alta segurança do local foi mantida e o Centro De dados foi construído em consonância com o Uptime Tier III e também com o Tier IV, encontrando-se atualmente em processo de certificação pelo Uptime Institute.

A energia fornecida provém de diversas barragens norueguesas, um recurso natural e renovável. Além disso, a Schneider Electric e a Green Mountain AS desenharam um sistema de refrigeração que usa a gravidade para trazer água gelada do fiorde até à estação de arrefecimento do Centro de Dados sem despender qualquer tipo de energia. Como a água é trazida de profundidades de até 100 metros, a temperatura mantém-se estável em 8ºC durante todo o ano e não são utilizados gases dos sistemas tradicionais de refrigeração.

As duas empresas conceberam e implementaram ainda um segundo Centro de Dados, em Rjukan, que funciona como espelho da instalação de Rennesøy e, dentro dos moldes do mesmo, é totalmente alimentado por eletricidade gerada a partir de fontes hídricas. Duas das estações hídricas estão localizadas a apenas algumas centenas de metros, o que torna robustas as fontes de alimentação deste segundo Centro de Dados.

Knut Molaug, CEO da Green Mountain AS, justificou a escolha da Schneider Electric por esta garantir “soluções energeticamente eficientes e económicas, utilizando a arquitetura e a tecnologia a seu favor”.

A aquisição da AST Modular, empresa fornecedora de Centros de Dados energeticamente eficientes, seguros e modulares, conferiu à Schneider Electric vantagem para estes projetos. As autoridades locais trataram da autorização de construção em 24 horas e os módulos de Centros de Dados pré-fabricados da AST tornaram possível a construção em cerca de 5 meses. Além disso, a aquisição permitiu também contar com conhecimentos internacionais de vanguarda.

Arild Bjørkedal, vice presidente da empresa referiu que “esta instalação é um marco para a Schneider Electric enquanto fornecedor de soluções de Centros de Dados eficientes. A combinação dos conhecimentos locais e internacionais permitiu assegurar a construção do Centro de Dados a tempo e horas. Não conhecemos instalações do gênero que tenham sido desenvolvidas tão rapidamente como esta, tanto na Noruega, como no resto do mundo”.

Em relação à sustentabilidade dos projetos, Bjorkedal destacou ainda que “a utilização de dados duplica a cada dois anos e é-lhe consignada cerca de 2% do total das emissões de gás carbônico. É com grande prazer e orgulho que fizemos parte deste projeto de vanguarda, que contribui para tornar o nosso mundo mais ecológico”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor