Xiaomi move dados para fora da China

OperadorasRedesSegurança

A Xiaomi, fabricante de smartphones chinesa que é já a quinta maior do mundo, está movendo os dados de seus clientes e suas plataformas de Internet para servidores fora da China. Isto acontece menos de três meses depois de a empresa ter visto serem levantadas dúvidas sobre a segurança dos dados de seus usuários. Desde o início

A Xiaomi, fabricante de smartphones chinesa que é já a quinta maior do mundo, está movendo os dados de seus clientes e suas plataformas de Internet para servidores fora da China. Isto acontece menos de três meses depois de a empresa ter visto serem levantadas dúvidas sobre a segurança dos dados de seus usuários.

xiaomi-l-e1414062539854

Desde o início deste ano, a Xiaomi está retirando os dados do país como uma forma de “reduzir a latência e as taxas de falhas” para seus clientes em todo o mundo, disse o vice-presidente da empresa, o brasileiro Hugo Barra, num post online.

Tendo crescido de forma significativa nos últimos anos, inclusive para fora da China, a Xiaomi tem visto também alargar-se o escrutínio sobre sua atividade, nomeadamente em relação a suas políticas de privacidade.

No final de julho, surgiram várias notícias dando conta de que telefones Xiaomi tinham enviado dados para sem a permissão dos utilizadores. Um usuário do smartphone Redmi Note detectou que, de cada vez que se conectava via wi-fi, seu aparelho estava enviando fotos e textos para um IP que se descobriu pertencer ao Ministério de Informação Industrial da China. A empresa mais tarde pediu desculpas e introduziu alterações ao seu software do smartphone.

Essas preocupações têm um nível adicional, uma vez que a empresa é baseada na China, um país cujo governo que tem sido criticado por suas políticas rígidas e alvo de acusações de realizar ataques digitais contra empresas e outros governos. A Xiaomi não é a primeira empresa chinesa a levantar dúvidas nos mercados ocidentais.

Talvez por isso, a empresa está agora tomando essa medida e tentando esclarecer sua posição junto do público internacional. Hugo Barra informou que estão movendo suas plataformas de e-commerce internacionais de Pequim para os data centers da Amazon, na Califórnia e Singapura.

Segundo a empresa, a mudança irá melhorar a velocidade de carregamento de websites e já é sentida em mercados como Hong Kong, Taiwan e Índia. Barra afirma houve um aumento de  200% de velocidade na Índia, enquanto nos outros dois países houve ganho de 30%.

No próximo ano, a empresa estará trabalhará com provedores de data center locais na Índia e no Brasil para hospedar serviços de atendimento para esses mercados, dentro de sua estratégia de apostar na venda de smartphones em mercados emergentes, tendo já anunciado que pretende expandir para países como a Rússia, México e Indonésia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor