Anatel implanta solução da RSA

OperadorasRedes

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) implantou a solução da RSA e criou um centro de monitoramento das redes de telecom do país. O projeto foi uma das iniciativas da entidade e permitiu que as telecomunicações da Copa do Mundo funcionassem com eficácia. A RSA, a divisão de segurança da EMC, e a integradora de

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) implantou a solução da RSA e criou um centro de monitoramento das redes de telecom do país. O projeto foi uma das iniciativas da entidade e permitiu que as telecomunicações da Copa do Mundo funcionassem com eficácia.

telecomunicacoes01-905x5001

A RSA, a divisão de segurança da EMC, e a integradora de soluções da Globalweb Corp implantaram a plataforma RSA Archer na Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel. Assim, foi possível criar o Centro de Monitoramento das Redes de Telecomunicações, que está funcionando desde a Copa do Mundo.

O projeto é precursor no Brasil e as empresas envolvidas estão negociando para expandir o uso da solução para outras áreas da agência.

A construção foi baseada na plataforma RSA Archer, que orquestra todo o seu gerenciamento. Permite adaptar as soluções aos requisitos do sistema do cliente, criar novos aplicativos e fazer a integração com outros sistemas. Agora, é possível que a Anatel visualize informações referentes à infraestrutura crítica das redes operadoras, de forma unificada, em um grande painel de vídeo.

A implatação da plataforma durou cerca de um ano, tendo sido finalizada em novembro de 2014. No entanto, já foi usada durante a Copa do Mundo o Brasil, período de alta concentração de pessoas. Foi necessário que a Anatel conseguisse visualizar todos os dados, para prevenir possíveis problemas e automatizar todos os dados das telecomunicações.

“A implantação do Archer na Anatel foi além do que imaginávamos de uma aplicação de plataforma. Um projeto como este nos dá conforto e funciona como o comprovante do sucesso do trabalho, mostrando-se apto para outros grandes eventos como Olimpíadas e Fórmula 1, uma vez que também reúnem uma grande massa de pessoas. São eventos que influenciam fortemente o turismo e precisam de tecnologia que traga tranquilidade”, diz Patrick Coura, especialista de Archer da RSA.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor