Estudo da Cisco reforça novo modelo operacional para Internet das Coisas

Gestão de RedesHOMERedesSoftware

Uma nova pesquisa divulgada pela Cisco revelou que o investimento para um modelo de TI ágil, o Fast IT, reduz os custos e estimula inovação mais rápida, com um benefício anual de 20% a 25% do custo total de propriedade (TCO, Total Cost of Ownership). O estudo também constatou que infraestruturas de TI existentes estão

Uma nova pesquisa divulgada pela Cisco revelou que o investimento para um modelo de TI ágil, o Fast IT, reduz os custos e estimula inovação mais rápida, com um benefício anual de 20% a 25% do custo total de propriedade (TCO, Total Cost of Ownership). O estudo também constatou que infraestruturas de TI existentes estão limitando a capacidade de execução e de inovação em muitas empresas. Fast IT é o modelo operacional de TI para a era da Internet das Coisas (Internet of Everything, IoE).

internet das coisas bit 2

Neste período de transição, o estudo salienta que as organizações de TI precisam de uma reforma fundamental para garantir que recebam os dividendos oferecidos pela nova economia da IoE. O papel da TI tradicional, de simplesmente “manter as luzes acesas”, garantindo o funcionamento do sistema e mantendo a infraestrutura existente, não é mais viável. A área de TI deve se atualizar em gestão de custos e agilidade. Se gerido da forma correta, as organizações de TI podem se tornar facilitadores de uma inovação pioneira, capaz de articular com a empresa e responder a um mundo dinâmico, de maior complexidade.

O Fast IT é o que o CIO precisa para conduzir uma transformação dos negócios. É uma abordagem de TI que, em geral, reduz a complexidade e aumenta a velocidade com extrema segurança. O Fast IT transforma e simplifica as operações de TI, tornando-as mais inteligentes e seguras. O modelo abrange as principais transições da tecnologia atual incluindo nuvem, mobilidade e segurança, análise de dados, novos aplicativos, bem como a Internet das Coisas (Internet of Things, IoT). Esse modelo também é fundamentalmente integrado às mudanças organizacionais necessárias para atender às exigências das diferentes áreas da empresa, tais como Vendas, Marketing, RH, Financeiro, Pesquisa e Desenvolvimento, entre outros.

O esforço da Cisco para realizar uma pesquisa multifacetada resultou em um diagnóstico global e abrangente sobre os impactos da Internet de Todas as Coisas (IoE) na área de TI. Além disso, explorou até onde os recursos para o Fast IT tem sido considerados, tanto do ponto de vista estratégico, como de arquitetura.

Foram entrevistados mais de 1.400 líderes de TI em cargos sênior, de uma mostra representativa de diversos mercados verticais no Brasil, Alemanha, Índia, Reino Unido e nos Estados Unidos. Complementando essa pesquisa quantitativa, um programa de entrevistas mais aprofundadas foi realizado com formadores de opinião da área de TI – analistas líderes da indústria, autores, acadêmicos e executivos de TI, além dos próprios profissionais – sobre como a infraestrutura, a economia e as dinâmicas organizacionais da Tecnologia da Informação estão mudando.

Em resumo, a pesquisa revelou que a velha maneira de fazer as coisas não funciona mais, pois a relação da área de TI com a empresa está passando por uma mudança radical. Os modelos tradicionais de infraestrutura de TI inibem a transformação, enquanto o modelo Fast IT representa uma mudança de paradigma na infraestrutura de TI.

A “Economia dos Aplicativos” está transformando fundamentalmente a função da área de TI, que precisa da nuvem para estabelecer a plataforma operacional. Os tempos de TI isolado do resto da empresa também acabaram. Agoram é fundamental que os líderes de TI alinhem a estratégia de dados às demandas do negócio em tempo real, sempre com foco nas pessoas, processos e gestão da mudança.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor