Isabel dos Santos poderá trazer paz para a Oi? [atualizada]

NegóciosOperadorasRedes

Isabel dos Santos, filha do Presidente angolano José Eduardo dos Santos e primeira multimilionária africana, apresentou uma Oferta Pública de Aquisição sobre a Portugal Telecom no valor de 1,21 bilhões de euros, que veio agitar o mercado nacional das telecomunicações. Proprietária da telecom portuguesa NOS (concorrente da PT) e a mulher mais rica do continente africano,

Isabel dos Santos, filha do Presidente angolano José Eduardo dos Santos e primeira multimilionária africana, apresentou uma Oferta Pública de Aquisição sobre a Portugal Telecom no valor de 1,21 bilhões de euros, que veio agitar o mercado nacional das telecomunicações.

isabel dos santos

Proprietária da telecom portuguesa NOS (concorrente da PT) e a mulher mais rica do continente africano, Isabel dos Santos colocou em cima da mesa uma proposta de aquisição da PT Portugal.

A oferta é avançada pouco tempo após a operadora italiana Altice ter mostrado estar disposta a desembolsar 8,7 mil milhões de dólares pelos negócios portugueses da PT, controlados pela brasileira Oi.

A Bolsa de Valores de Lisboa suspendeu a venda das ações da Portugal Telecom SGPS depois da licitação de 1,21 mil milhões de euros lançada pela empresária através da sua empresa Terra Peregrin que, segundo o Diário de Notícias, um dos mais prestigiados jornais portugueses, foi criada apenas dois dias antes da OPA.

O acordo de fusão das operações da PT e da Oi padece de uma inconstância crónica que o tornou num negócio altamente mediatizado e alvo de múltiplas críticas, tanto a nível nacional como internacional.

Condenado pela opinião pública, o empréstimo obscuro de 900 milhões de euros feito à Rioforte pela PT, à revelia de seus acionistas, valeu à operadora portuguesa uma redução de 11,3 por cento (de 37 para 25,7 por cento) na participação na empresa resultante da combinação dos negócios, a CorpCo.

Apesar de não ter sido confirmado, acredita-se que a OPA de Isabel dos Santos seja uma manobra para tentar conservar na esfera empresarial portuguesa os ativos da PT, que a Oi tem procurado vender para amortizar dívidas.

Com a oferta, a empresária apresentou uma série de condições que a Oi terá de respeitar para que a compra seja efetivada. Contudo, a empresa brasileira poderá não estar disposta a cumprir com as exigências.

A Oi adjetivou como “inoportuna” o termo que exigiria a revisão do acordo de permuta de ações promulgado no passado mês de setembro pelos acionistas da PT relativamente ao negócio de fusão das duas empresas.

Não estando disposta a vergar-se perante as condições avançadas, a proposta de Isabel dos Santos poderá cair por terra mesmo antes de levantar voo.

Não obstante, a proposta surtiu já o atraso da venda da PT Portugal pela Oi, o que poderá dar à empresária a oportunidade que precisa para delinear um plano de contingência.

A oferta de 1,35 euros de Isabel dos Santos por cada ação da PT representa um aumento de onze por cento do valor atingido na Bolsa de Lisboa na passada sexta-feira, sete de novembro. Depois de anunciada a OPA, as ações da Portugal Telecom subiram 15 por cento.

isabel dos santos quadrado


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor