Metade das empresas não está preparada para transformação

CloudHOMEServidores

A Oracle e a Forbes realizaram um estudo onde entrevistaram 534 executivos de empresas globais de grande porte e concluíram que os gestores acreditam que a transformação dos negócios é essencial para que as empresas potenciem seu nível de competitividade mas muitas são aquelas que não possuem ainda a capacidade para essa reestruturação. Making the Change: Planning, Executing

A Oracle e a Forbes realizaram um estudo onde entrevistaram 534 executivos de empresas globais de grande porte e concluíram que os gestores acreditam que a transformação dos negócios é essencial para que as empresas potenciem seu nível de competitividade mas muitas são aquelas que não possuem ainda a capacidade para essa reestruturação.

change-greensign

Making the Change: Planning, Executing and Measuring a Successful Business Transformation é o nome da pesquisa, cujos resultados foram ontem revelados pela Oracle, referindo que um em cada cinco entrevistados não conseguiu materializar com sucesso a transformação e que três em cada cinco não ponderaram sequer tentar.

Mesmo com 86% dos executivos envolvidos no estudo afirmando que a transformação empresarial ininterrupta é crucial para que as empresas conservem seu posicionamento de topo, muitas são as organizações que não dispõem das necessárias munições para materializar essa reestruturação.

Os participantes do estudo afirmaram que a transformação das empresas é “uma faca de dois gumes”, visto que sua execução determinará o sucesso ou o insucesso das organizações. 41% nomeou a realização ineficiente da transformação como o principal fator de insucesso . Por outro lado, 35% apontou as restrições orçamentais ou a falta de recursos como motivo para a falha da implementação de mudanças nos negócios. Já quanto aos motivos do sucesso, 51% referiram o suporte da liderança e 48% citaram uma execução forte e competente.

Para conquistarem e cimentarem sua posição na dianteira do mercado, segundo o estudo, as empresas precisam apostar fortemente na inovação, a nível de modelos de negócio, seus processos e desenvolvimento de produtos, serviços e soluções. Para que a transformação seja bem-sucedida é necessária ainda uma completa e precisa perspetiva da situação financeira da organização.

Dos 534 executivos de nível sênior (diretores ou cargos acima), 61% são do C-Level (CEO, CIO, CFO etc.) em empresas com um valor global de receitas anuais iguais ou superiores a US$ 1 bilhão. O estudo abrangeu inquiridos nas seguintes regiões: Américas (37%); Europa, Médio Oriente e África – EMEA (29%) e Ásia-Pacifico (34%); e incluiu inúmeros setores de atividade como por exemplo: serviços profissionais (10%), bancos e financeiras (7%), indústrias (13%), varejo e engenharia (ambos com 6%).


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor