Mudança no algoritmo do Facebook obriga empresas a adaptarem-se

e-MarketingRedes Sociais

O Facebook, que constantemente atualiza seus algoritmos, anunciou uma mudança que dá ao usuário o controle das exibições de publicações em seu feed. Essa nova forma de classificação, baseada no engajamento, representa um novo desafio para empresas e profissionais que lidam com páginas dedicadas ao relacionamento das empresas com usuários. A mudança no algoritmo visa

O Facebook, que constantemente atualiza seus algoritmos, anunciou uma mudança que dá ao usuário o controle das exibições de publicações em seu feed. Essa nova forma de classificação, baseada no engajamento, representa um novo desafio para empresas e profissionais que lidam com páginas dedicadas ao relacionamento das empresas com usuários.

br

A mudança no algoritmo visa determinar o que aparece nos feeds de notícias dos adeptos da rede social, com foco em dois detalhes: trending topics (assuntos mais comentados pelos usuários) e o número de curtidas e comentários que as publicações recebem. De acordo com um comunicado do Facebook sobre as alterações, o objetivo é exibir os conteúdos nas horas certas, para que publicações importantes não sejam perdidas entre os usuários.

Segundo André Luiz de Freitas, especialista em Comunicação e Marketing e diretor-geral da Haai Comunicação e Marketing de Blumenau, a adequação recente do Facebook se assemelha ao Twitter, que trabalha com conteúdos curtos e instantâneos. Desta forma, a modificação no algoritmo priorizará os posts mais recentes, não dando destaque para publicações antigas, como vem acontecendo atualmente.

Freitas explica que o que determinará para um post estar entre os mais recentes nos feeds dos usuários será ter ligação com os assuntos dos trending topics e receber engajamento forte, com curtidas e comentários, logo ao ser publicado na rede. “Outra questão importante é como são exibidos os posts para os usuários. O Facebook percebeu um melhor engajamento nas publicações com formato de link, por isso decidiu favorecer esse modelo em seu algoritmo”, destaca.

Para Freitas, as páginas de empresas sofrerão mais com as mudanças, pois devem interferir nas publicações que ficarão para visualização dos usuários. Por isso, é fundamental que haja alterações também nos conteúdos desenvolvidos das páginas, buscando a simplificação e priorizando links.

“Nos estudos do Facebook, o modelo de conteúdo com link tem recebido o dobro de cliques. Em relação às empresas, é recomendado que se use o recurso que melhor se adapta à mensagem que quer passar, seja através de status, foto, link ou vídeo, mas, com base nessas pesquisas, as empresas devem se adaptar e fazer posts com links, sempre tendo em vista o maior engajamento possível”, explica.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor