Oi anuncia novo interessado na Portugal Telecom

NegóciosOperadorasRedes

Em comunicado oficial, conforme ditam as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a operadora brasileira anunciou que recebeu uma nova oferta pela empresa portuguesa, desta feita vinda dos fundos de investimento Apax e Bain Capital que apresentam uma proposta conjunta elevando o valor em cima da mesa a €7,075 bilhões (cerca de R$ 22,452 bilhões). Após

Em comunicado oficial, conforme ditam as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a operadora brasileira anunciou que recebeu uma nova oferta pela empresa portuguesa, desta feita vinda dos fundos de investimento Apax e Bain Capital que apresentam uma proposta conjunta elevando o valor em cima da mesa a €7,075 bilhões (cerca de R$ 22,452 bilhões).

2395

Após a oferta inicial de €7,025 bilhões, apresentada pela francesa Altice teve início uma “corrida à PT” em que depois entrou a multimilionária angolana Isabel dos Santos, através da recém criada empresa Terra Peregrin, e à qual agora chegam os dois grupos de investimentos que se apresentam em parceria.

Para já, parece que a Oi não vai rechaçar a proposta, pelo menos nos mesmo termos em que fez com a oferta angolana. A empresa informa, em seu comunicado, que “a proposta já foi enviada ao Conselho de Administração da Oi, que analisará e decidirá sobre os seus termos”.

Analisemos as diferenças mais significativas entre as três propostas. Os franceses da Altice apresentaram sua oferta pelos ativos portugueses da Oi que, na prática, incluem a operadora Meo em Portugal e excluem a operação da PT Portugal em África, bem como os tão falados títulos de dívida da Rioforte. O valor proposto teria duas partes, ambas de €400 milhões, que seriam pagas por uma meta de receitas e outra de geração de cash flow.

A proposta conjunta que chegou recentemente é muito semelhante, inclusive no aspecto do pagamento diferido que também será dividido em duas partes de €400 milhões, sendo também as metas a aplicar ao nível de receitas, uma, e de EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) outra. A diferença mais importante está mesmo na subida do valor total da oferta para os tais €7,075 bilhões.

Já a participação da Terra Peregrin, de Isabel dos Santos, tem contornos mais singulares e, talvez por isso, tem sido conotada com uma possível jogada de interesses político-econômicos portugueses. A empresária angolana se propôs a comprar a PT SGPS, sociedade que detêm uma participação de cerca de 39% da Oi, o que pode significar que pretende sim controlar o que a empresa brasileira vai fazer cpom seus ativos portugueses e não a própria operadora lusa. A proposta impunha condições nesse aspecto que parecem confirmar a teoria.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor