Produtos a evitar nas compras online de Natal

E-commercee-MarketingSegurança

Iphones, Playstation 4 e botas da marca Ugg são os produtos dos quais os compradores online se deverão manter afastados, como diz um estudo de uma unidade do governo britânico para a segurança online, a Get Safe Online. Para além de ter atenção aos excessos alimentares da época natalina, são os esquemas de compras online

Iphones, Playstation 4 e botas da marca Ugg são os produtos dos quais os compradores online se deverão manter afastados, como diz um estudo de uma unidade do governo britânico para a segurança online, a Get Safe Online.

stock, compras

Para além de ter atenção aos excessos alimentares da época natalina, são os esquemas de compras online que podem provocar mais estragos, de acordo com o estudo. Os compradores em busca de achados na internet têm de estar atentos às compras, para garantir que não se tornam vítimas de um número crescente de esquemas cibernéticos, segundo dados da Get Safe Online.

A iniciativa para a segurança online, que já vai em seu oitavo ano, juntou-se ao Barclays e ao anti-vírus Kaspersky, para descobrir quais são as marcas com maior risco associado, quando o assunto é compras online. Já é habitual que situações de esquemas online surjam nesta época, com vários compradores à procura dos produtos mais recentes, a um preço mais baixo.

Botas Ugg, iPhones e a Playstation 4 estão no topo da “Lista de Natal arriscada”, uma compilação que tem em conta estatísticas da polícia relacionadas com fraude online. Na lista também foi incluído o iPad Mini e casacos da marca Barbpur.

No último ano, os dados finais sobre fraude em compras online, na altura do Natal, subiram 31%, lesando os compradores britânicos em mais de 13 milhões de reais, com cada consumidor a perder cera de 176 reais, em média. Os resultados realçam a necessidade de os consumidores se manterem vigilantes quando fazem compras na internet e que tenham atenção antes de se lançarem em compras por impulso.

“Todos os anos, na altura do Natal, sem exceção, vemos estatísticas preocupantes de pessoas a serem vítimas de fraude online”, diz Tony Neate, CEO da Get Safe Online.“ todas as pessoas a gastarem alguns minutos para se informarem sobre os esquemas que andam por aí, para que aprendam como é que podem estar em segurança, para não se tornarem em vítimas na época natalícia. Sabemos que é uma altura de stress e de agitação, mas incentivamos a que tenham princípios básicos em mente e que não se deixem levar por produtos com preços demasiado bons para serem verdade”, finaliza.
No entanto, pesquisas feitas pela Get Safe Online indica que só um terço (32%) das pessoas fazem queixa de crimes online. Assim, os prejuízos podem exceder os 43 milhões de reais.

“A segurança online pode ser quase um campo de minas para os consumidores e a tentação pode ser para se sentirem oprimidos e nem saberem como se proteger”, diz David Emm, principal investigador do Kaspersky Lab. “Ainda assim, seguindo algumas linhas orientadoras simples, os consumidores podem aumentar drasticamente sua segurança. Coisas simples como garantir que as senhas são diferentes e complexas, para prevenir que criminosos possam aceder às contas. O meu outro conselho é que tenham atenção ao site onde estão a comprar. Será assim tão bom quanto parece?”


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor