36% dos apps para Android podem trazer ameaças

MobilidadeSegurançaSistema Operacional

Levantamento feito pela Trend Micro, especializada em segurança, apontou que, em outubro de 2014, cerca de 36% dos 11 milhões de aplicativos traziam riscos ao usuário. 23% dos apps foram considerados de alto risco ou de adware. Segundo a empresa, as permissões dadas para os aplicativos de alto risco podem ser usadas para causar rotinas

Levantamento feito pela Trend Micro, especializada em segurança, apontou que, em outubro de 2014, cerca de 36% dos 11 milhões de aplicativos traziam riscos ao usuário. 23% dos apps foram considerados de alto risco ou de adware.

Android-Malware-radioactive

Segundo a empresa, as permissões dadas para os aplicativos de alto risco podem ser usadas para causar rotinas potencialmente indesejadas.

De todos os aplicativos maliciosos que foram detectados, 13% são absolutamente maliciosos ou categorizados como malware. Esses tipos de aplicativo são conhecidos por serem originados de lojas terceirizadas de aplicativos, ou seja, outras lojas que não sejam a Google Play. No mês de outubro, a empresa de segurança contabilizou mais de 532 mil novas amostras para o Android. Quase um terço, 29%, são malwares, enquanto outro terço, 30%, são adwares. Menos da metade, 41%, dos aplicativos verificados são considerados seguros.

Segundo a Trend Micro, o que movimenta essas ameaças, em primeiro lugar, é o fato da adoção de aplicativos para celulares continuar a crescer. Isso resulta em um mercado maduro e atrativo para as ameaças e golpes cibercriminosos. As lojas de aplicativos também servem de atrativo no uso de celulares, uma vez que hospedam os aplicativos que os consumidores gostam de usar.

De acordo com as análises da companhia, os aplicativos de lojas terceirizadas foram bem populares com os usuários de celular em outubro. O número de downloads de aplicativos feitos a partir de lojas terceirizadas – 4,17 milhões – é maior que o número de downloads feitos no Google Play – 2,58 milhões – e maior do que o número de downloads de outras lojas de aplicativos – 4,13 milhões.

Essa adoção em expansão das lojas terceirizadas de aplicativos pode ser bem problemática para os usuários de celular, visto que os desenvolvedores de aplicativos cibercriminosos podem facilmente distribuir apps usando estes canais.

Na indústria da tecnologia, o processo de investigar e fazer a verificação de quais aplicativos são seguros e identificar os que não são é uma opção válida para assegurar a segurança das lojas. A investigação ajuda na validação do app antes que ele seja enviado para as lojas para ser classificado como de risco ou malicioso.

Com a proximidade com o Natal, aumentam as compras online e, consequentemente, os cibercriminosos aumentam a criação de aplicativos maliciosos, com foco principal nos pagamentos realizados pelo celular. A verificação dos aplicativos é uma forma que os operadores de lojas de aplicativos têm para garantir a segurança de seus usuários, e ao mesmo tempo, que os usuários têm para garantir a segurança dos aplicativos baixados.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor