AT&T apresenta tendências de segurança para 2015

Segurança

A AT&T apresenta as principais tendências a nível de segurança para 2015, após um ano em que foram públicos vários casos de quebras de segurança nas empresas. Várias empresas foram vítimas de ataques e viram informações confidenciais publicadas na imprensa, com consequências fortes para a imagem das empresas. O vice-presidente sênior e diretor de segurança

A AT&T apresenta as principais tendências a nível de segurança para 2015, após um ano em que foram públicos vários casos de quebras de segurança nas empresas.

segurança digital2

Várias empresas foram vítimas de ataques e viram informações confidenciais publicadas na imprensa, com consequências fortes para a imagem das empresas.

O vice-presidente sênior e diretor de segurança da AT&T, Ed Amoroso, prevê que as violações de segurança poderão passar de roubos à destruição, quando os criminosos cibernéticos se focarem em arruinar infraestruturas de empresas.

Uma das tendências na visão de Ed Amoroso é aprender com a parte positiva dos invasores. As empresas podem reforçar estratégias de defesa fazendo uso da arquitetura resistente dos botnets. Se, quando atacam, os botnets são impossíveis de destruir, por que não aproveitar esse potencial para reforçar segurança?

Outra das tendências é a necessidade de as empresas se focarem naquilo que é realmente importante, que foi apelidado por Ed Amoroso “de volta à realidade”. Para o responsável da AT&T, vulnerabilidades de grandes escala, como Heartbleed ou Shellshock, distraíram as empresas para as ameaças realmente assustadoras, os ataques de “Ameaça Persistente Avançada”, que não somente roubam dados, mas que também os destroem.

A terceira tendência foi intitulada de “reduzir a dependência de infraestrutura física”. Nos próximos meses, Amoroso espera que as estratégias de “Rede Definida por Software” das organizações sejam testadas ao máximo. Assim, quando forem atingidas por ataques com capacidade destrutiva, as empresas que não se tenham adaptado e largado a estrutura física, podem nem sequer vir a recuperar. Ed Amoroso acredita ainda que a a maioria das organizações está numa situação delicada, explicada pela dependência de infraestrutura física.

A AT&T é uma empresa holding de comunicações de primeira linha, com uma forte presença nos Estados Unidos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor