Sony decide exibir filme só em alguns cinemas

CyberwarSegurança

A Sony Pictures decidiu permitir a exibição da polêmica longa-metragem “A Entrevista” em algumas salas de cinema. Há menos de uma semana, a produtora cinematográfica embargara a apresentação do filme, depois de hackers norte-coreanos, apoiados por Pyongyang, terem-no publicado na Internet e ameaçado com ciberataques aqueles que não acatassem suas exigências. O retrocesso na decisão

A Sony Pictures decidiu permitir a exibição da polêmica longa-metragem “A Entrevista” em algumas salas de cinema. Há menos de uma semana, a produtora cinematográfica embargara a apresentação do filme, depois de hackers norte-coreanos, apoiados por Pyongyang, terem-no publicado na Internet e ameaçado com ciberataques aqueles que não acatassem suas exigências.

the-interview-e1419370336306

O retrocesso na decisão da Sony foi fortemente motorizado pelos apelos lançados por salas de cinema independentes que faziam questão em não ceder às exigências dos cibercriminosos. Já as grandes cadeias de cinema mantêm sua posição, avançando que a exibição do filme poria em causa sua segurança cibernética.

O diretor executivo da Sony Pictures, Michael Lynton, disse que a empresa, apesar de ter suspendido o lançamento do filme que satiriza o assassínio do líder da Coréia do Norte, Kim Jong-Un, nunca desistira da difusão da obra cinematográfica protagonizada por Seth Rogen e James Franco.

Num estádio inicial, a Sony Pictures não via com bons olhos a exibição do filme somente num grupo restrito de cinemas, mas depois de ter sido pressionada por distribuidores independentes, cedeu, nunca deixando de referir que está empenhada em encontrar formas alternativas de dar a conhecer ao mundo a longa-metragem de US$ 44 milhões.

Depois da decisão de não revelar o filme, o Presidente Barack Obama censurou a Sony pela ação que tomou, dizendo que não deveria ter aquiescido às exigências de marginais que intentam intimidar o governo norte-americano e forçar num Estado democrático a implementação de um clima de censura.

Esta semana, Washington inequívoca e oficialmente acusou o governo norte-coreano de atentar contra a nação norte-americana, e assegurou que retaliará com igual força, quando e como considerar mais adequado.

O filme “A Entrevista” deverá estrear, nos (poucos) cinemas, no dia de Natal.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor