Comércio mobile deve aumentar durante os próximos anos

E-commercee-MarketingMobilidade

O comércio eletrónico móvel, ou m-commerce, atingirá os US $ 626 bilhões em 2018, de acordo com dados avançados pela Goldman Sachs. O aumento é fruto do crescente número de dispositivos móveis e da reconfiguração dos comportamentos de consumo. De acordo com dados da Goldman Sachs, em 2014 gastaram-se, a nível mundial, cerca de US $204

O comércio eletrónico móvel, ou m-commerce, atingirá os US $ 626 bilhões em 2018, de acordo com dados avançados pela Goldman Sachs. O aumento é fruto do crescente número de dispositivos móveis e da reconfiguração dos comportamentos de consumo.

nfc

De acordo com dados da Goldman Sachs, em 2014 gastaram-se, a nível mundial, cerca de US $204 bilhões em compras através de dispositivos móveis. Dentro de quatro anos, se estima que esse valor tenha assomado aos US $ 626 bilhões.

Assim, se espera que em 2018 os gastos em comércio eletrónico móvel estejam na mesma casa de grandeza dos gastos em e-commerce registados no ano de 2013 (US $ 638 mil milhões de dólares).

A crescente hegemonia dos dispositivos móveis está na base do fortalecimento do m-commerce. Hoje, os smartphones e tablets não são somente usados para fazer compras através da Internet, mas também servem como “carteiras digitais”.

As tecnologias de NFC (comunicação por campo de proximidade), associadas a aplicativos móveis de pagamento, permitem que o usuário faça uma transação através da simples aproximação do dispositivo a um terminal de pagamentos mobile. O Apple Pay, o Google Wallet, o SEQR e o MB WAY da Sibs são serviços de pagamento móvel, assentes em NFC, que potenciam o crescimento da esfera do m-commerce.

Algumas são já as lojas que permitem, através de um aplicativo mobile, que os clientes possam comprar artigos in store sem que tenham de se aproximar de uma caixa registadora. Dotando suas equipas de vendas com tablets ou smartphones, os clientes podem comprar em poucos segundos.

A tendência para os anos vindouros é que o m-commerce continue a ganhar peso, e que venha mesmo a reconfigurar o próprio setor do varejo e os comportamentos de consumo dos indivíduos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor