Competição de US$ 1 milhão estimula uso positivo de drones

Software

Uma competição mundial lançada pelos Emirados Árabes Unidos, oferecendo US$ 1 milhão para a melhor aplicação civil inovadora da tecnologia drone, recebeu mais de 800 inscrições locais e internacionais de 57 países, com destaque para as oportunidades oferecidas pelos drones para atender às necessidades públicas. A competição “Drones para o Bem” (Drones for Good) lançada

Uma competição mundial lançada pelos Emirados Árabes Unidos, oferecendo US$ 1 milhão para a melhor aplicação civil inovadora da tecnologia drone, recebeu mais de 800 inscrições locais e internacionais de 57 países, com destaque para as oportunidades oferecidas pelos drones para atender às necessidades públicas.

Mohd Al Gergawi  - pr newswire

A competição “Drones para o Bem” (Drones for Good) lançada na Cúpula de Governo, organizada pelos Emirados Árabes Unidos, em fevereiro de 2014, fornece uma nova perspectiva para o uso de drones, geralmente associados a um conflito militar. Dezenove semifinalistas foram selecionados, incluindo projetos usando drones para melhores busca e salvamento, prestação de serviços em favelas, reflorestamento e detecção de minas terrestres. O vencedor será escolhido nas competições finais do prêmio Drones para o Bem dos Emirados Árabes Unidos, que terá lugar em Dubai, em 6 e 7 de fevereiro de 2015.

Sua Excelência Mohammed Abdullah Al Gergawi, ministro de Assuntos de Gabinete, elogiou a resposta mundial, que se alinha com os esforços do governo dos Emirados Árabes Unidos para melhorar os serviços do governo.

“A competição reflete o nosso compromisso de aproveitar a criatividade e a inovação para servirem ao bem público”, disse ele. “Cada proposta pode mudar o mundo e espero inspirar as pessoas a pensarem sobre como podemos usar a tecnologia de novas maneiras.”

A Espanha liderou as inscrições com 62, seguida pelos Estados Unidos (47), Índia (34), Arábia Saudita (18), Colômbia e Polônia (15) e Reino Unido (11).
As propostas dos semifinalistas incluem o uso de drones para detecção de pessoas se afogando e retirada em segurança (Polônia); replantio de áreas desmatadas (Reino Unido); melhor detecção de minas terrestres (Espanha); apoio aéreo aos salvamentos da Guarda Costeira (Nova Zelândia); mapeamento e monitoramento de zonas de desastre para ajudar na resposta (Arábia Saudita); e permissão do acesso a espaços confinados e voo com segurança próximo a missões humanas/de salvamento (Suíça).

As inscrições também incluem projetos para plantar sementes e coletar amostras de plantas (Sudão); eliminar o nevoeiro de maneira ecologicamente correta (EAU); urbanismo, especialmente em favelas, através do mapeamento, levantamento e planejamento físico (Quênia); transferência mais rápida de órgãos para transplante de centros de doação (Espanha); melhor vigilância dos parques para combater caçadores furtivos, controle da vida selvagem e redução dos riscos de incêndio (Espanha); e transporte de alimentos, medicamentos, água, energia solar, iluminação e abrigos temporários para comunidades abandonadas (Austrália).

Além do prêmio de US$ 1 milhão para o vencedor, os semifinalistas apresentarão os seus drones a capitalistas de risco e outros investidores potenciais, ajudando a levar as suas ideias ao mercado comercial.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor