Mão-de-obra causa atraso na criação de projetos de mobilidade

Software

A demanda por aplicativos móveis tem vindo a crescer, acompanhando o crescimento dos usuários de tablets e smartphones. Mas há uma coisa que parece não vir acompanhando esse aumento: a quantidade de desenvolvedores de aplicativos. É esta a conclusão do estudo feito a pedido da OutSystems. Foi feito a 228 diretores e gerentes de empresas

A demanda por aplicativos móveis tem vindo a crescer, acompanhando o crescimento dos usuários de tablets e smartphones. Mas há uma coisa que parece não vir acompanhando esse aumento: a quantidade de desenvolvedores de aplicativos. É esta a conclusão do estudo feito a pedido da OutSystems.

Apple iPhone with Social Media Apps

Foi feito a 228 diretores e gerentes de empresas de desenvolvimento de aplicativos nos Estados Unidos e Reino Unido e mostrou que o grande desafio das empresas é mesmo encontrar desenvolvedores com capacidades no mercado.

Esta área tem grandes lacunas, comprovando que são poucos os profissionais da área. E os poucos que existem são caros. Estas características do mercado acabam por atrasar a criação de projetos de mobilidade, com um efeito negativo para as receitas das empresas.

Ainda de acordo com o estudo, a pesquisa “comprova essa escassez de mão de obra qualificada, quando revela que apenas 6% dos entrevistados afirmaram que possuem todas as habilidades necessárias para o desenvolvimento de aplicativos móveis”, afirma Paulo Rosado, CEO da OutSystems.

O estudo mostra também que existe uma porcentagem considerável de vagas para estes cargos: 63% dos entrevistados têm entre 11 a 25% das vagas abertas para contratar desenvolvedores. Mas mostra também que, por vezes, é tão difícil contratar profissionais  à altura – como disseram 94% dos inquiridos – que nem chegam a abrir vagas, como é o caso de 6% dos entrevistados.

95% dos diretores e gerentes que responderam ao inquérito dizem que gerenciam entre um e dez projetos, no espaço de 12 meses. Os objetivos da criação dos aplicativos móveis também foram considerados: 64% teve como primeiro objetivo a criação de receita, 58% quis melhorar a experiência móvel em aplicativos existentes e 52% teve como meta a melhora da experiência do cliente.

O tempo é um dos fatores importantes desta equação: quanto menos tempo no desenvolvimento dos aplicativos, maior velocidade na entrega de um aplicativo e resposta ao mercado. 51% dos entrevistados leva, em média, três a seis meses para o desenvolvimento e entrega de um aplicativo móvel completo. Já 6% precisa de mais tempo, com períodos que podem ir até um ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor