Oferta de Wi-Fi pode melhorar desempenho do varejo

EmpresasMobilidadeNegócios

A AirTight Networks, um dos maiores provedores mundiais de serviços gerenciados de redes Wi-Fi em nuvem, acaba de divulgar na feira da Federação Nacional de Varejo, nos EUA, uma pesquisa mostrando que 27,5% das lojas que oferecem rede sem fio para os clientes registraram um aumento significativo dos níveis de fidelidade. O levantamento aponta também

A AirTight Networks, um dos maiores provedores mundiais de serviços gerenciados de redes Wi-Fi em nuvem, acaba de divulgar na feira da Federação Nacional de Varejo, nos EUA, uma pesquisa mostrando que 27,5% das lojas que oferecem rede sem fio para os clientes registraram um aumento significativo dos níveis de fidelidade.

wi-fi2

O levantamento aponta também que 82% das empresas de varejo médias e grandes já instalaram Wi-Fi em suas lojas, enquanto 57% dos estabelecimentos oferecem conexões WiFi tanto para clientes quanto para funcionários.

A pesquisa foi encomendada pela AirTight, em parceria com a provedora de serviço de rede gerenciada Wi-Fi EarthLink, e conduzida pela firma de consultoria IHL Group. O objetivo do estudo é medir o impacto do serviço de conexão gratuita em lojas comerciais sobre tópicos como satisfação e fidelização do cliente.

Outro dado relevante da pesquisa é que 70% das empresas de varejo dos EUA já estão utilizando serviços de rede terceirizada com provedores em nuvem. Ainda segundo a pesquisa, outras 34% das empresas manifestaram a disposição de atualizar suas estruturas de Wi-Fi, para aumentar a capacidade e melhorar a performance, ao longo de 2015.

De acordo com Fernando Neves, presidente da AirTight Brasil, com os dados do levantamento, a AirTight e a EarthLink irão desenvolver um “benchmark” (uma espécie de métrica de referência para avaliação comparativa por outras empresas usuárias), mapeando dados relevantes sobre o impacto do Wi-Fi nos negócios. “Estamos seguros de que os dados do levantamento também serão úteis no Brasil, já que os índices de informatização do nosso varejo já se equiparam ao norte-americano” afirma o executivo.

Segundo ele, também está no plano das empresas lançar uma ferramenta de benchmarking para possibilitar às empresas de varejo enxergar e comparar seus próprios parâmetros de produtividade com o uso da tecnologia WiFi para embasar políticas de melhores práticas e alavancagem do negócio a partir da conexão gratuita.

Recentemente, a AirTight introduziu no Brasil o serviço de rede Wi-Fi em nuvem, uma alternativa ideal para empresas com diversas lojas, que precisam de um modo fácil de ativar e monitorar os serviços Wi-Fi em todos os estabelecimentos.

De acordo com Fernando Neves, além da forte redução dos custos de propriedade, a terceirização na nuvem viabiliza ao lojista um nível de serviço de conexão com gerenciamento inteligente que, em geral, não é implementado pela simples instalação de pontos de acesso de baixo custo.

“O serviço de Wi-Fi gerenciado em nuvem oferece diversos recursos adicionais como ferramentas de CRM, acompanhamento de performance e estatísticas comportamentais de cliente, além disso, este tipo de solução dispõe de recursos de armazenamento de dados e relatórios de acesso que são fundamentais para que as lojas usuárias possam atender as exigências de documentação e responsabilidade jurídica do novo Código Civil da Internet”, explica o executivo.

Na expectativa de Fernando Neves, ao longo de 2015 cerca de 17 mil estabelecimentos deverão adotar este tipo de serviço no mercado brasileiro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor