74% dos brasileiros disponibilizam dados e informações pessoais a desenvolvedores de apps

SegurançaSoftware

A pesquisa Norton Mobile, realizada pela Symantec, apontou que a esmagadora maioria dos brasileiros não presta muita atenção nas permissões que os aplicativos móveis pedem na hora da instalação. 74% dos usuários cedem diversos tipos de informações, como por exemplo, sua localização geográfica, contatos, fotos, senhas, pacote de dados do aparelho, que podem ser usadas

A pesquisa Norton Mobile, realizada pela Symantec, apontou que a esmagadora maioria dos brasileiros não presta muita atenção nas permissões que os aplicativos móveis pedem na hora da instalação. 74% dos usuários cedem diversos tipos de informações, como por exemplo, sua localização geográfica, contatos, fotos, senhas, pacote de dados do aparelho, que podem ser usadas pelos criminosos digitais em busca de ganho financeiro. Até mesmo os aplicativos legítimos podem apresentar brechas de segurança, que são aproveitadas pelos malfeitores.

aplicativos2

Realizada globalmente, a pesquisa ouviu mais de seis mil pessoas em nove países ao redor do mundo que tinham um smartphone ou tablets e haviam baixado um aplicativo nos últimos três meses. As entrevistas ocorreram entre 6 e 17 de Outubro de 2014 e compreendeu nações da Europa, América Latina, América do Norte, Ásia e Oceania.

A ideia foi mapear o quanto os usuários estavam cientes, ou não, do quanto abrem mão da sua privacidade e informações pessoais em troca de entretenimento, como jogos e redes socais.

O estudo também traz que os brasileiros estão preocupados com as golpes e armadilhas digitais no mundo móvel. Do total dos entrevistados, 63% se preocupam com vírus ou malware. No Brasil, este número cresce para 89%. Apesar disso, em sua grande maioria, os usuários desconhecem quais informações estão cedendo aos desenvolvedores de aplicativos, comprometem sua própria privacidade e colocam-se em risco.

Este cenário acontece pois, muitos dos usuários que mais se preocupam com a privacidade móvel são os que menos tendem a tomar precauções para se proteger – tudo em troca de downloads gratuitos de aplicativos.

Outros destaques da pesquisa foram:

· 81% dos entrevistados não sabe que aplicativos podem modificar seus favoritos no celular;

· 75% não sabe que permitem o acesso à câmera e microfone do smartphone;

· 38% está disposto a permitir que os aplicativos usem mais a bateria para obter um aplicativo gratuito;

· 45% sabe que estão cedendo a localização de seu aparelho aos desenvolvedores;

· 1 em cada cinco consumidores permite que um aplicativo controle o quanto usa de seu pacote de dados.

“Muitas das ameaças móveis atuais estão localizadas em aplicativos para smartphones e tablets. Globalmente, são mais de 3 milhões de aplicativos maliciosos e 8 milhões que podem expor a privacidade dos dados”, revela Beto Santos, Diretor de Consumo da Symantec. “Por isso, é necessário saber que, quando se trata de aplicativos, a palavra ‘grátis’ raramente vem sem um custo. Os dados pessoais se tornam a moeda de troca e como a maioria dos usuários não sabem das vantagens e desvantagens de privacidade online, acabam por expor suas informações”, complementa o executivo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor