Investimentos em IoT não são ainda significativos

Negócios

São ainda escassas as empresas que tiram o devido proveito das oportunidades geradas pelas Internet das Coisas, disse a Gartner. A consultoria avançou que 40 por cento das organizações deverão dentro dos próximos três anos colher os frutos desta tendência tecnológica. A IoT, ou Internet das Coisas, é a tendência que traduz as crescentes conexões

São ainda escassas as empresas que tiram o devido proveito das oportunidades geradas pelas Internet das Coisas, disse a Gartner. A consultoria avançou que 40 por cento das organizações deverão dentro dos próximos três anos colher os frutos desta tendência tecnológica.

IoT

A IoT, ou Internet das Coisas, é a tendência que traduz as crescentes conexões que existem entre os vários dispositivos eletrónicos. Neste prisma, uma investigação da Gartner, comunicada pela Computerworld, revela que 40 por cento as empresas verão os seus negócios sofrerem profundas alterações ao longo dos próximos três, sendo que algumas prendem-se com as reduções de despesas e o surgimento de novas oportunidades de negócio.

O vice-presidente da consultoria, Nick Jones, disse que a IoT é um conceito ainda muito recente e que são poucas as empresas que fazem uso efetivo destas soluções.

O estudo da Gartner aponta que a maioria das empresas não está ainda na posse de uma estratégia devidamente delineada (a existir), nem profissionais que possam colocar em marcha programas focados na IoT.

A consultoria diz, adicionalmente, que as estratégias de IoT não devem pender tanto para o lado do desenvolvimento de produtos que se enquadrem nesta tendência, mas incidir mais fortemente na exploração das oportunidades de negócio que podem ser criadas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor