TJ de Mato Grosso otimiza seu tráfego de rede

EmpresasNegóciosRedes

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso otimizou seu tráfego de rede utilizando tecnologia Riverbed. Depois da implementação do novo ambiente, o serviço disponibilizado permite maior confiabilidade e rapidez. O projeto de centralização de gestão de TI tem vindo a ser feito no data center da capital, Cuiabá. A meta é conseguir melhorar a qualidade

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso otimizou seu tráfego de rede utilizando tecnologia Riverbed. Depois da implementação do novo ambiente, o serviço disponibilizado permite maior confiabilidade e rapidez.

Tribunal-de-Justiça-do-Estado-de-Mato-Grosso

O projeto de centralização de gestão de TI tem vindo a ser feito no data center da capital, Cuiabá. A meta é conseguir melhorar a qualidade de serviços prestados pelo tribunal, ao mesmo tempo em que se consegue aumentar a produtividade para os cerca de cinco mil usuários do sistema do Tribunal. Desta forma, acabam sendo beneficiados, para além do Tribunal, as 85 Comarcas e Juizados Especiais que estão espalhados pelo Estado.

Era necessário ampliar a estrutura de armazenamento de dados, para que fosse possível atender ao crescimento gradual da demanda processual e de informações.

No ano passado, o TJ de Mato Grosso já tinha implementado três soluções de TI: uma para promover a visibilidade à rede; outra para otimização das aplicações e troca de informações em rede e uma terceira que permitia otimizar o tráfego de dados, mesmo que houvesse falha de acesso.

“Hoje atuamos com uma interface única. Realizamos o armazenamento e o gerenciamento dos dados judiciais das nossas 79 comarcas de forma centralizada em Cuiabá”, disse Benedito Alexandre, diretor do departamento de Conectividade do TJMT.

Esta solução de armazenamento permitiu aumentar a segurança e confiabilidade dos sistemas de TI, provendo backup de dados aprimorado sem carga adicional aos precários links de internet das comarcas ao longo do Estado e maior aceleração na entrega dos serviços à comunidade judiciária.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor