Google+ troca de comando e tem seus serviços separados

e-MarketingHOMERedes Sociais

O Google tentou, insistiu, mas não teve jeito. Sua rede social, o Google+, simplesmente não pegou. Em um comunicado oficial feito por Bradley Horowitz, novo chefe do projeto, anunciou que estará a frente do Photos e do Streams, sem citar diretamente o Google+. Na prática, isso significa que o Google+ está sendo dividido em suas

O Google tentou, insistiu, mas não teve jeito. Sua rede social, o Google+, simplesmente não pegou. Em um comunicado oficial feito por Bradley Horowitz, novo chefe do projeto, anunciou que estará a frente do Photos e do Streams, sem citar diretamente o Google+.

google plus

Na prática, isso significa que o Google+ está sendo dividido em suas partes mais importantes. O Photos já funcionava separadamente nos aparelhos Android (é a galeria de imagens, edição e backup na nuvem das fotos, que também faz a linha do tempo automática das imagens), mas acabava escondido dentro do Google+ porque, afinal, praticamente ninguém acessava fora do smartphone.

Misturando o compartilhamento de conteúdo (Streams) e as fotos em um mesmo serviço, o Google acabava perdendo tração e grande parte do esforço de inovação era desperdiçado. Com novo foco, separando o que as pessoas efetivamente usam, é maior a chance de reverter as perdas do projeto (que em seu ápice mobilizou mais de 1.300 funcionários) e transformá-lo em algo de sucesso.

Lançado em junho de 2011, o Google+ surgiu como uma promessa de rede social capaz de deixar para trás o Facebook. No início, era acessível apenas por convite, mas depois, vinculando as contas do Gmail ao serviço, o Google conseguiu cerca de 500 milhões de usuários. O problema é que poucos efetivamente acessam o serviço.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor