Mercado brasileiro de PCs encolhe 26% em 2014

Negócios

A IDC Brasil, especialista em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, divulgou os dados consolidados do mercado de PCs no Brasil no 4° trimestre e no ano de 2014. De acordo com o levantamento, no último trimestre do ano, foram vendidos 10.3 milhões de

A IDC Brasil, especialista em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, divulgou os dados consolidados do mercado de PCs no Brasil no 4° trimestre e no ano de 2014.

mercado computadores02

De acordo com o levantamento, no último trimestre do ano, foram vendidos 10.3 milhões de computadores em 2014, 26% menos na comparação com 2013. Desse total, 4 milhões são desktops (queda de 31%) e 6.4 milhões são de notebooks (queda de 22%), sendo 29% comercializados para o mercado corporativo e 71% para o consumidor final.

Segundo a IDC Brasil, os resultados de 2014 foram impactados pelo Carnaval fora de época, a Copa do Mundo, as eleições e a alta do dólar. “Tradicionalmente, março é um mês muito positivo para o mercado de PCs, porém, o Carnaval adiado fez com que o 1º trimestre fosse muito negativo em vendas. Logo em seguida houve a Copa do Mundo e os varejistas focaram em outras categorias de produtos. As incertezas em relação às eleições e a volatilidade da moeda americana também contribuíram para o mau desempenho em 2014”, afirma Pedro Hagge, analista de pesquisas da IDC Brasil.

Os números do 4º trimestre estão de acordo com as projeções da IDC Brasil, que, ao contrário de anos anteriores, já previa um desaquecimento das vendas no período. “Os volumes do 4º trimestre têm sido cada vez mais impactados pela Black Friday. Os varejistas estão comprando e estocando os produtos já em setembro e a tendência é não termos mais um 4º trimestre forte como em anos anteriores”, afirma Hagge.

Além disso, o ritmo fraco da economia, a escassez de crédito, inflação e a alta do dólar, que acaba gerando repasse de preços ao consumidor, também foram fatores preponderantes para o mau desempenho nos últimos três meses de 2014. Em relação aos PCs conversíveis, o analista da IDC Brasil afirma que houve alguns bons lançamentos no 2º semestre de 2014 e, apesar das vendas crescerem 20% na comparação com o 3º trimestre, a categoria ainda não ‘pegou’ no Brasil. “Foram cerca de 42 mil notebooks conversíveis vendidos entre outubro, novembro e setembro”, completa.

Para 2015, a IDC Brasil espera queda de 3% do mercado de PCs no Brasil. “A alta do dólar vai dificultar a recuperação. Isso já se pode notar nas lojas, onde os produtos estão de 15 a 20% mais caros do que custavam 6 meses atrás”, afirma Hagge. Para o analista da IDC Brasil, o consumidor brasileiro é muito sensível a preços e, isso, aliado a instabilidade econômica e a adoção de outros dispositivos, fará com que o mercado de PCs no Brasil termine este ano em baixa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor