MWC 2015: Ericsson promove experiências digitais em Barcelona

HOMEMobilidade

5G, LTE, Cloud, IP, soluções de virtualização de rede, big data analytics, OSS/BSS, TV e media… estes foram algumas das soluções e tecnologias que a Ericsson trouxe a Barcelona ao Mobile World Congress 2015. Soluções que, diz a empresa, irão permitir que agentes de mudança da Sociedade em Rede avancem para as verdadeiras experiências digitais.

5G, LTE, Cloud, IP, soluções de virtualização de rede, big data analytics, OSS/BSS, TV e media… estes foram algumas das soluções e tecnologias que a Ericsson trouxe a Barcelona ao Mobile World Congress 2015. Soluções que, diz a empresa, irão permitir que agentes de mudança da Sociedade em Rede avancem para as verdadeiras experiências digitais.

Ericsson no Mobile World Congress

Image 1 of 41

Ericsson no Mobile World Congress

Comecemos pelo 5G. Já está sendo obviamente testado e o palco em Barcelona não poderia ser mais indicado para o fazer, até porque se prevê que as primeiras redes comerciais surjam em 2020. A empresa sueca trouxe seu Radio 5G e mostrou aquele que garante ser o primeiro sistema Dual Connectivity do mundo, que permite aos dispositivos uma ligação simultânea às redes 5G e LTE.

Ainda no 5G, o tema redes capilares foi igualmente explorado. Aqui foi demonstrado como é possível gerir redes de grande escala da Internet of Things (Internet das Coisas) e lidar com ciclos de controlo de baixa latência através da rede móvel. Até porque, explica a empresa, uma grande parcela dos dispositivos nos futuros sistemas 5G serão máquinas autônomas pelo que é preciso mudarmos o paradigma de gestão do atual modelo de um-para-um para um modelo um-para-muitos.

Por último no tema 5G, o controlo remoto através de uma rede móvel que cativou muitas das atenções do stand da marca sueca. A Ericsson Research demonstrou, em colaboração com a Volvo Construction Equipment (Volvo CE), um sistema de controlo remoto de duas escavadoras através da rede móvel e em tempo-real. As duas escavadoras compactas Volvo CE, que integram a tecnologia de protótipo, mostram a implementação completa do conceito 5G. Este projeto de investigação conjunto pretende demonstrar as exigências futuras no quesito das redes 5G, o poder de transformação das TIC e o que a tecnologia mais avançada pode realmente oferecer.

Outra estrela da companhia é o Ericsson Radio System, uma solução de rede móvel modular desenhada para melhorar a cobertura das aplicações para os usuários de dispositivos móveis, num cenário de crescimento do tráfego de smartphones (8X), entre 2014 e 2020, ano em que se estima que 90% da população mundial com mais de seis anos tenha um telefone móvel. “O Ericsson Radio System coloca os operadores no caminho certo para o 5G ao garantir o melhor desempenho da indústria – Ericsson Many-Core Baseband Architecture – e uma redução drástica dos requisitos energéticos, do espaço disponíveis nos locais e do tempo de instalação”, garante a empresa.

Depois, várias outras tecnologias estiveram em demonstração neste que é um dos maiores stands do Mobile World Congress e por onde os responsáveis esperam que passem qualquer coisa como sete mil pessoas entre parceiros e clientes. Foi possível ver o Psi-Coverage, uma solução desenhada para ligar de uma forma eficiente os mais de 3 bilhões de usuários de banda larga móvel ou a solução TDD-FDD Carrier Aggregation de banda base única que permite aos operadores adicionarem cobertura TDD e capacidade a suas redes apenas através da atualização de software.

Já o License Assisted Access (LAA), do qual já falamos anteriormente, é uma tecnologia 4,5 G que melhora a cobertura interior de aplicativos para os usuários de smartphones através de uma combinação de bandas de espetro licenciadas e não licenciadas.

Na vertente de Serviços Geridos, a Ericsson trouxe o Network Operations e Service Centers (NOC e SOC). A empresa demonstrou a forma como utiliza seus network operations centers (NOC) para gerir redes a pedido dos operadores em tudo o mundo. Aliás, este ano, pela primeira vez, a Ericsson demonstrou a forma como monitoriza a qualidade de serviço através de seus service operations centers.

Já nos Operation Support Process as a Service é possível ver aqui em Barcelona o portfólio de ferramentas e de processos que a Ericsson utiliza sempre que é contratada para gerir a rede de um operador está agora disponível no modelo as a service. “O Operation Support Process as a Service ajuda a baixar o custo total de propriedade e reduz a necessidade de investimentos dos clientes, permitindo que as ferramentas OSS\BSS sejam facultadas como serviços”.

Também aqui está a denominada Pay TV at Web Speed, a próxima geração de plataforma da Ericsson de TV por subscrição baseada em cloud, “potenciando as mais ágeis experiências de televisão do mundo”.

Aliás, a cloud ganha particular relevância nesta feira com os novos routers IP 6000 series que junta o transporte de rádio e de IP, integrado com o Ericsson Radio System e o Ericsson Network Manager. Voltamos a ver o Ericsson Cloud System de que já falamos anteriormente e as chamadas Wi-Fi. A empresa sueca demonstrou chamadas de voz e de vídeo através de Wi-Fi, usando suporte nativo em smartphones e interoperabilidade plena com voz sobre LTE.

Por último, é possível ver aqui em Barcelona a “Gestão de conhecimento para indústria e para a sociedade”, utilizando os transportes inteligentes como exemplo: um comboio de mercadorias pode ser controlado através de automação e da gestão de conhecimento.

Trouxeram ainda o Maritime ICT Cloud, uma solução de gestão em cloud que liga as embarcações no mar com entidades em terra para facilitar os serviços usados para gerir frotas, monitorizar os motores e o consumo de combustível, verificar as rotas e a navegação e assegurar o bem-estar da tripulação.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor