MWC 2015: Google oficializa entrada nas comunicações móveis

Mobilidade

Os rumores de que o Google estaria interessado em expandir sua área de negócios ao investir nas comunicações móveis foram confirmados por um executivo da empresa, no Mobile World Congress. As intenções não são, no entanto, transformar-se num dos nomes principais do setor. Sundar Pichai, vice-presidente sênior de produtos do Google, foi um dos palestrantes convidados no Mobile

Os rumores de que o Google estaria interessado em expandir sua área de negócios ao investir nas comunicações móveis foram confirmados por um executivo da empresa, no Mobile World Congress. As intenções não são, no entanto, transformar-se num dos nomes principais do setor.

google-navegador

Sundar Pichai, vice-presidente sênior de produtos do Google, foi um dos palestrantes convidados no Mobile World Congress e aproveitou o momento para confirmar as suspeitas de que o Google estaria interessado em apostar nas comunicações móveis. A entrada da empresa neste mercado deverá ser cautelosa, sem bater de frente com as grandes operadoras norte-americanas.

O serviço será iniciado em pequena escala, com o intuito de se desenvolver novas ferramentas e tecnologias que possam fazer evoluir o modo como as comunicações móveis são distribuídas, trazendo inovação compartilhada para outras empresas que se interessem.

Por enquanto, o executivo não revelou detalhes concretos sobre a nova operação do Google, mas garantiu que mais novidades serão reveladas nos próximos meses. Entre as informações mais aguardadas está a indicação de quais as empresas a que o Google deverá se aliar para fornecer o novo serviço, já que as comunicações móveis do Google deverão seguir o modelo MVNO – Mobile Virtual Network.

Na prática, isto significa que o Google apenas seria responsável pela distribuição dos pacotes e pela gestão dos preços a que sua oferta será disponibilizada, deixando de lado a necessidade de construção ou aquisição de infraestruturas próprias. Assim, o Google compra no atacado conectividade das operadoras, sejam quais forem, e a distribui entre sua base de assinantes.

O serviço celular, que será oferecido tanto na modalidade voz quanto dados, será disponibilizado onde já existe o serviço Google Internet e TV por fibra ótica, em pequena escala em um estágio inicial.

O plano do Google faz sentido. É uma forma de fechar o círculo de conectividade e utilizar seu gigantesco tamanho para conseguir vantagem numérica. A maioria dos aparelhos móveis do planeta roda Android, a maioria das buscas na web são feitas pelo Google, que ganha dinheiro da publicidade que vem dos apps, das buscas e do conteúdo que oferece. Ofertar uma via de acesso a preços justos é apenas mais uma forma de fomentar seu negócio a longo prazo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor