Pregão eletrônico economizou R$ 7,8 bilhões aos cofres públicos

EmpresasNegócios

Segundo o Ministério do Planejamento, o uso do pregão eletrônico nas compras públicas realizadas pelo governo federal gerou uma economia de R$ 7,9 bilhões (18%) aos cofres públicos em 2014. O sistema foi usado em 33,8 mil processos licitatórios, com um gasto total de R$ 37,8 bilhões. Os dados foram extraídos do Sistema de Compras

Segundo o Ministério do Planejamento, o uso do pregão eletrônico nas compras públicas realizadas pelo governo federal gerou uma economia de R$ 7,9 bilhões (18%) aos cofres públicos em 2014. O sistema foi usado em 33,8 mil processos licitatórios, com um gasto total de R$ 37,8 bilhões.

pregão

Os dados foram extraídos do Sistema de Compras do Governo Federal, o Comprasnet, que é de responsabilidade do Ministério do Planejamento (MP).

“A economia de 18% foi calculada na comparação dos valores de referência dos bens e serviços com os preços estabelecidos no fim das licitações”, explicou ao Portal Brasil Cristiano Heckert, secretário de Logística e Tecnologia da Informação do MP.

De acordo com o Heckert, o pregão eletrônico também é vantajoso por proporcionar maior transparência, tendo em vista que todos os certames podem ser acompanhados em tempo real no Portal de Compras do Governo Federal.

Em relação aos serviços, os mais contratados foram os de suporte com um gasto em torno de R$ 1,4 bilhão. Eles envolvem trabalhos administrativos, de portaria e recepção, informática e também de promoção de eventos.

Se comparado apenas às modalidades licitatórias, que não incluem a dispensa e inexigibilidade de licitação, o pregão eletrônico foi responsável por 91,1% dos gastos em aquisições. Já em número de processos, essa modalidade de contratação respondeu por 94%.

Os órgãos públicos federais localizados no estado do Rio de Janeiro (RJ) foram os que mais utilizaram o pregão eletrônico em quantidade no último ano. Foram 4.489 processos licitatórios utilizando a modalidade. Já em termos monetários, foram as entidades do Distrito Federal (DF) que fizeram mais compras pela modalidade, com um valor de quase R$ 13,7 bilhões.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor