Windows 10 terá atenção especial com a China

EscritórioSistemas OperacionaisSoftware

Terry Myerson, vice presidente executivo de sistemas operacionais da Microsoft, garantiu que o Windows 10 estará disponível a partir de junho de 2015, em 190 países e 111 idiomas diferentes. Um desses países é a China, e foi justamente numa conferência nesse país que as mais recentes funcionalidades do sistema foram apresentadas, como interoperalidade entre

Terry Myerson, vice presidente executivo de sistemas operacionais da Microsoft, garantiu que o Windows 10 estará disponível a partir de junho de 2015, em 190 países e 111 idiomas diferentes. Um desses países é a China, e foi justamente numa conferência nesse país que as mais recentes funcionalidades do sistema foram apresentadas, como interoperalidade entre equipamentos e integração com a Internet das Coisas.

windows 10 multi

A conferência de hardware do Windows (WinHEC) aconteceu na China por uma razão estratégica, dada a aposta neste mercado para impulsionar o sucesso do novo sistema operacional. Myerson apresentou parcerias com tecnológicas chinesas que visam a integração do Windows 10 no dia-a-dia destes usuários para corresponder à promessa de que a atualização para esta versão do Windows seria gratuita para quem já trabalhasse com o Windows 7, 8 ou 8.1.

Acordos com a Lenovo, Tencent, Qihu 360 e Xiaomi resultarão na criação de pacotes de ofertas específicos para os consumidores de cada marca, mas que terão em comum o acesso ao Windows 10. Numa publicação no blog oficial da Microsoft, Terry Myerson explica que foram desenvolvidas algumas funcionalidades especialmente para este mercado, incluindo uma versão da assistente pessoal Cortana em mandarim.

O caráter transversal do sistema operacional continua a ser uma aposta forte da Microsoft. Além de smartphones, computadores portáteis, desktop ou tablets, também serão disponibilizadas versões do Windows 10 para equipamentos como caixas de multibanco ou de ultrassons.

Este novo cenário será possível graças a parcerias firmadas com a Raspberry Pi Foundation, Intel e Qualcomm, entre outras, como citou Myerson, que contribuirão para “o fornecimento de ótimas opções para dispositivos comerciais”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor