Autodesk anuncia investimento de US$ 10 milhões na Carbon 3D

NegóciosSoftware

A Autodesk, por meio do Fundo de Investimentos Spark, de sua criação, anunciou um aporte de US$ 10 milhões na Carbon3D, uma startup revolucionária que tem potencial de mudar totalmente o paradigma da impressão 3D. A tecnologia da Carbon 3D, chamada Continuous Liquid Interface Production (CLIP), consegue acelerar em até 100 vezes a velocidade de

A Autodesk, por meio do Fundo de Investimentos Spark, de sua criação, anunciou um aporte de US$ 10 milhões na Carbon3D, uma startup revolucionária que tem potencial de mudar totalmente o paradigma da impressão 3D.

Carbon3D_in_action_preview

A tecnologia da Carbon 3D, chamada Continuous Liquid Interface Production (CLIP), consegue acelerar em até 100 vezes a velocidade de impressão de métodos convencionais, com muito mais resistência estrutural e refinamento de detalhes.

No final de 2014, Autodesk lançou o Fundo de Investimento Spark, com o objetivo de investir até US $ 100 milhões em empreendedores, inovadores e startups que ultrapassam os limites da impressão 3D. O fundo de investimento é o primeiro fundo exclusivamente dedicado a conduzir o crescimento global do ecossistema da impressão 3D.

“Iniciamos o Fundo de Investimento Spark para ajudar a impulsionar a indústria de impressão 3D”, afirma Carl Bass, presidente e CEO da Autodesk. “A Carbon3D encarna a inovação que é necessária para mudar a forma como os produtos são feitos. A incrível velocidade de sua tecnologia CLIP torna a impressão 3D acessível para uma verdadeira transformação, além da criação de protótipos”, complementa.

O processo atual de camada por camada da tecnologia de impressão 3D é lenta e muitas vezes produz peças com pontos de fragilidade estrutural. Usando um processo fotoquímico de adição de nanocamadas, em vez da abordagem mecânica tradicional, a tecnologia CLIP elimina estas deficiências para transformar rapidamente modelos 3D em objetos físicos. Ao equilibrar cuidadosamente a interação da luz UV, que desencadeia a fotopolimerização e oxigênio, que inibe a reação, a tecnologia CLIP permite a aceleração da formação de objetos sólidos.

“Trabalhando na intersecção de hardware, software e ciência molecular, buscamos resolver fundamentalmente as questões que têm impedido a impressão 3D de tornar-se um processo de fabricação”, diz o dr. Joseph DeSimone, CEO e co-fundador da Carbon3D. “Estamos honrados em ter uma potência da indústria como Autodesk reconhecer a natureza transformadora da nossa tecnologia CLIP e se envolver com a gente de uma forma tão significativa”, complementa.

O objetivo da Carbon3D é viabilizar, em até 12 meses, um modelo comercial de impressora 3D que utilize sua tecnologia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor