Pesquisa aponta que empresas demandam inteligência operacional mais ágil

HOMESoftware

A Axway, referência de mercado na governança de fluxo de dados, e a Finextra Research, principal fonte mundial especializada em informações e notícias de tecnologia financeiras, realizaram um estudo global que examinou a maturidade da inteligência operacional para pagamentos em organizações financeiras. O objetivo foi examinar como as organizações financeiras estão aplicando sua inteligência operacional.

A Axway, referência de mercado na governança de fluxo de dados, e a Finextra Research, principal fonte mundial especializada em informações e notícias de tecnologia financeiras, realizaram um estudo global que examinou a maturidade da inteligência operacional para pagamentos em organizações financeiras. O objetivo foi examinar como as organizações financeiras estão aplicando sua inteligência operacional.

inteligência operacional

A pesquisa foi realizada com 105 tomadores de decisões na indústria de serviços financeiros globais e identificou maior pressão sobre TI para apoiar a tomada de decisões instantânea de forma a aprimorar a experiência do cliente, aumentar a lucratividade e melhorar o desempenho.

Realizado pela Finextra, o estudo destaca as prioridades de diversos bancos em seus negócios de pagamentos, os desafios que eles enfrentam nas operações e seu uso atual de ferramentas de inteligência operacional para proporcionar análise comercial e suporte de decisões em tempo real.

“Conforme o volume e a velocidade das transações de pagamentos digitais continuam a crescer, as organizações precisam cada vez mais tomar decisões rapidamente”, revela Paul Penrose, chefe de pesquisa da Finextra Research. “Com amplo monitoramento de ponta a ponta das transações e atividade comercial, a capacidade de proporcionar um alto nível de satisfação do cliente, que se converte em lucratividade, é altamente aprimorada.”

Ao examinar as prioridades para diretores operacionais, executivos de planejamento estratégico e gerentes de pagamentos globais, o estudo identificou a melhoria no atendimento ao cliente como a principal prioridade de negócios (55%), seguida por aumento nos lucros (26%) e melhor desempenho (19%). O estudo também revelou:

  • Predomínio de processamento de pagamentos imediatos: dentre os participantes, 77% responderam que processam pagamentos imediatos de um tipo ou outro e 90% responderam que seu banco está conectado diretamente a uma plataforma de processamento de pagamento.
  • Grandes volumes de transações de pagamento: mais da metade dos entrevistados (56%) trabalha com volumes de transações de pagamento de, no mínimo, um milhão por dia, e a mesma porcentagem possui um valor mensal agregado de transações equivalente a US$ 1 bilhão ou mais.
  • Priorização de melhor atendimento ao cliente: mais da metade dos entrevistados (55%) acredita que sua principal prioridade de negócios é melhorar o atendimento ao cliente, tornando isso mais importante do que o aumento de lucros ou melhoria de desempenho.
  • Necessidade por decisões operacionais imediatas: a maioria dos entrevistados (58%) deve tomar decisões operacionais imediatas diariamente, enquanto apenas 51% de fato se comprometeram com um rápido tempo de resposta às dúvidas de clientes.
  • Busca por redução de riscos operacionais: dentre os entrevistados, 85% citaram a redução de riscos operacionais como o principal objetivo estratégico, enquanto 71% mencionou a melhora na experiência do cliente como uma das principais metas de maturidade de inteligência operacional.
  • Preocupações com segurança cada vez maiores: dentre os entrevistados, 39% mencionaram ter sofrido até nove violações de segurança significativas no ano passado.

“As descobertas da Finextra expõem os desafios operacionais que a maioria das instituições financeiras enfrenta para realizar análises de negócios e tomar decisões em tempo real”, comenta Dean Hidalgo, vice-presidente executivo de marketing global da Axway. “Por meio da implantação de tecnologias de inteligência operacional, as organizações podem governar adequadamente o fluxo de dados entre fontes internas e externas e, assim, adotar novos modelos de negócios digitais.”

O white paper “Inteligência operacional e monitoramento de pagamentos” completo pode ser acessado gratuitamente aqui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor