Prefeitura de São Paulo sofre pressão para bloquear Uber

Software

O serviço de caronas pagas Uber causou uma verdadeira comoção na capital paulistana ontem. Cerca de 400 taxistas se concentraram na Praça Charles Muller, na Zona Oeste, e seguiram em carreata até a Câmara Municipal, no centro de São Paulo, em um ato de repúdio contra o serviço. Segundo os taxistas, que causaram transtornos no

O serviço de caronas pagas Uber causou uma verdadeira comoção na capital paulistana ontem. Cerca de 400 taxistas se concentraram na Praça Charles Muller, na Zona Oeste, e seguiram em carreata até a Câmara Municipal, no centro de São Paulo, em um ato de repúdio contra o serviço.

carreata taxi uber

Segundo os taxistas, que causaram transtornos no trânsito da já conturbada metrópole, o Uber configura-se como concorrência desleal, pois as corridas são feitas sem taxímetro e os veículos não são licenciados.

O vereador Adilson Amadeu, do PTB, é autor de um projeto de lei que proíbe o uso de carros particulares com o aplicativo. A multa prevista seria de R$ 1.700, com apreensão do veículo irregular. Segundo o vereador, os cerca de 35 mil táxis da capital precisam ser protegidos do Uber, que pelas contas de Amadeu já possui mais de 1,2 mil carros rodando.

A Prefeitura fiscaliza, mas até agora apenas 8 veículos que aderiram ao serviço foram parados.

A alegação de que o Uber seja um serviço clandestino é no mínimo difusa. O que acontece é que existia um vácuo que foi preenchido com o auxílio da tecnologia. O Uber faz o intermédio seguro entre motoristas e passageiros, fica com uma parte das corridas e pré-seleciona motoristas e carros para manter um padrão mínimo de qualidade, muitas vezes superior ao prestado pelos táxis.

Outra vantagem do Uber é que os motoristas não recusam corridas, mesmo as curtas, prática muito comum entre os taxistas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor