Hackers russos podem ter atacado sistemas da Casa Branca

Segurança

Cibercriminosos russos podem ter conseguido acessar informações sensíveis guardadas nos sistemas da Casa Branca. Segundo a CNN, os hackers conseguiram obter detalhes confidenciais sobre o Presidente Barack Obama.  A emissora noticiosa, citando fontes próximas do assunto, afirmou que houve uma brecha de segurança digital na Residência Presidencial norte-americana, e que vazaram informações sobre o itinerário

Cibercriminosos russos podem ter conseguido acessar informações sensíveis guardadas nos sistemas da Casa Branca. Segundo a CNN, os hackers conseguiram obter detalhes confidenciais sobre o Presidente Barack Obama. 

casa branca

A emissora noticiosa, citando fontes próximas do assunto, afirmou que houve uma brecha de segurança digital na Residência Presidencial norte-americana, e que vazaram informações sobre o itinerário e comunicações de Barack Obama.

Repercutindo informações avançadas pela Reuters, a revista Fortune disse que, no mês de novembro passado, hackers se infiltraram no sistema de e-mail do Departamento de Estado norte-americano, e que, após cerca de um mês, a rede da Casa Branca registava atividades consideradas suspeitas. Diz a Fortune que o ataque ao Departamento de Estado permitiu que os criminosos ganhassem acesso à Casa Branca, que, ao que parece, era o objetivo desta operação.

À CNN, Ben Rhodes, conselheiro de segurança nacional adjunto, explicou que o sistema da Casa Branca bifurca-se em “confidencial” e “não confidencial”. Rhodes disse que os hackers só conseguiram alcançar a vertente de informação não confidencial.

A emissora disse que durante meses os cibercriminosos estiveram infiltrados nos sistemas do Departamento de Estado, e que, apesar das tentativas, não foram totalmente eliminados da rede.

A Fortune diz que oficiais do governo norte-americano acreditam que os atacantes estão, de alguma forma, associados ao Estado russo. Contudo, segundo a Reuters, o porta-voz Mark Stroh afirmou que a Casa Branca recusa-se a emitir qualquer comentário sobre a atribuição do ataque à Rússia feita pela CNN.

A relação entre os Estados Unidos e o centro nervoso da antiga União Soviética é, declaradamente, atribulada. Ex-rivais da Guerra Fria, estas duas potências continuam a travar pequenas batalhas no campo cibernético, nunca assumidas, e acusações desta natureza não chegam a ser surpresa.

Uma acusação formal teria um peso inominável, com consequências em várias esferas, que vão da ONU à estabilidade política e militar nos territórios disputados pela Rússia. Também há o risco, ainda queremoto, de uma nova polarização global e possível escalada para um conflito armado.

Rússia, China, Coréia do Norte, Paquistão e Síria são constantemente acusados de manter exércitos hackers para minar nações opositoras. O mesmo vale para os EUA, Israel e Inglaterra, que, de maneira extra-oficial, usam os talentos dos hackers como força em uma nova guerra fria, em que os mísseis nucleares inoperantes, que serviam de ameaça, foram substituídos por ataques coordenados e pontuais à governos e instituições.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor