Samsung está desenvolvendo relógio com tela redonda

InovaçãoMobilidadeVestíveis

A Samsung pode estar se preparando para acrescentar um novo membro à sua família de smartwatches Gear. No dia em que a Apple dá início à venda de seu relógio, a sua rival sul-coreana anunciou que deu à sua comunidade global de programadores o acesso ao kit de desenvolvimento de software (SDK) do Gear. No seu blog,

A Samsung pode estar se preparando para acrescentar um novo membro à sua família de smartwatches Gear. No dia em que a Apple dá início à venda de seu relógio, a sua rival sul-coreana anunciou que deu à sua comunidade global de programadores o acesso ao kit de desenvolvimento de software (SDK) do Gear.

samsgun SDK

No seu blog, a Samsung diz que esta é a primeira vez que abre o SDK do seu smartwatch a terceiros, “conjuntamente com o design e a construção do seu dispositivo antes do lançamento do produto”.

O líder da unidade de Comunicações Móveis e de TI da Samsung, JK Shin, diz na publicação que a empresa está adaptando sua estratégia de dispositivos vestíveis, abrindo seu ecossistema a uma colaboração mais ativa, fomentando a inovação e procurando oferecer aplicativos otimizados e uma melhor experiência de utilização nesse âmbito.

Este anúncio surge no mesmo dia em que os smartwatches da Apple chegam às prateleiras das lojas – apesar de a empresa norte-americana aconselhar vigorosamente a compra online para evitar a formação de filas nos estabelecimentos comerciais. Apesar da aparente falta do característico burburinho inerente aos lançamentos da Apple, espera-se que os relógios da empresa de Cupertino atinjam maiores volumes de vendas do que qualquer outro produto do gênero apresentado até ao momento.

A Samsung conta já com seis dispositivos na sua família de smartwatches Gear (S, Live, Fit, Gear 2, Gear 2 Neo e Galaxy Gear). Contudo, este deverá será o primeiro dos seus relógios com uma tela redonda, conferindo-lhe uma estética que remete para o design dos relógios tradicionais.

Este novo produto está ainda envolto numa densa neblina, pelo que pormenores como preço e data de lançamento são ainda desconhecidos.

Apesar de ser uma das pioneiras no segmento de relógios inteligentes com múltiplas funções, a Samsung ainda não conseguiu a tração desejada. Além da pouca autonomia de bateria, os usuários reclamaram da pouca utilidade da câmera integrada. Com o Gear Fit, a sul-coreana resolveu boa parte dos problemas de usabilidade

O problema é que a Samsung quer impor seu sistema operacional Tizen como alternativa ao Android, tentando se livrar da dependência do Google. Ela embarcou o Tizen no Galaxy Gear e a recepção foi no mínimo morna. Tanto no hardware quanto no software, sua linha de vestíveis ainda está longe de agradar ao consumidor.

Ao abraçar o design clássico de um relógio, com uma tela redonda, a Samsung segue as concorrentes LG e Motorola, que saíram na frente com a vantagem de abraçar totalmente a visão do Google de smartwatches, o Android Wear. Por não tentar reinventar a roda, as outras fabricantes ganharam apoio total do Google  para experimentar com novos formatos de hardware, muito mais amigáveis, e têm tido uma resposta bem mais positiva dos consumidores.

O movimento da Samsung é ousado, considerando a forma como a companhia trabalha. Além de assumir o risco de seguir por um caminho já trilhado, a empresa chamou de forma simpática a comunidade de desenvolvedores, importante para o sucesso de um produto do tipo. Mas vale lembrar que, por ela mesma lançar o SDK e não contar com o SDK original do Android Wear, pode ser que o novo relógio rode uma versão bastante modificada do sistema do Google ou o famigerado Tizen. Assim que isso for esclarecido, você fica sabendo aqui na B!T.

*Filipe Pimentel é jornalista da B!T em Portugal


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor