Solução de biometria do CPqD está disponível em nova plataforma da IBM

Business IntelligenceData StorageSegurançaSoftware

A solução CPqD Smart Authentication, que utiliza tecnologias de biometria de face e de voz na autenticação de usuários em aplicações críticas – como transações bancárias e de comércio eletrônico, por exemplo -, já está rodando na plataforma Power8, lançada recentemente pela IBM. Disponível para experimentação no IBM Client Center (ICC), em São Paulo, a

A solução CPqD Smart Authentication, que utiliza tecnologias de biometria de face e de voz na autenticação de usuários em aplicações críticas – como transações bancárias e de comércio eletrônico, por exemplo -, já está rodando na plataforma Power8, lançada recentemente pela IBM. Disponível para experimentação no IBM Client Center (ICC), em São Paulo, a solução reforça a parceira existente entre o CPqD e a IBM na área de segurança e prevenção a fraudes.

biometria facial

“A identificação correta do cliente que está tentando comprar um produto, ou realizar uma operação bancária, em um canal de atendimento eletrônico, é fundamental para evitar fraudes que hoje são motivo de preocupação em instituições financeiras e empresas de e-commerce”, afirma Graziela Barros, gerente de Soluções de Autenticação Biométrica do CPqD. “Por outro lado, o excesso de processos de segurança, com repetidas solicitações de senhas, tokens e informações pessoais, pode acabar ofuscando os grandes atrativos do atendimento eletrônico: a comodidade e a facilidade de uso”, acrescenta.

Essa é, segundo Graziela, a principal vantagem da biometria: conciliar a necessidade de segurança com a preservação da facilidade de uso dos canais eletrônicos. “A solução CPqD Smart Authentication ajuda a prevenir a fraude, na medida em que permite autenticar pessoas a partir do reconhecimento de sua voz ou da face, de uma forma natural, segura e rápida”, ressalta.

Graziela destaca ainda que a solução pode ser usada em múltiplos canais de comunicação (internet, telefone e smartphone) e que combina as tecnologias de biometria, de síntese de fala (text to speech) e de reconhecimento de fala (automatic speech recognition) do CPqD, para português falado no Brasil – o que facilita ainda mais a interação com os usuários. Para isso, é importante ter um equipamento com grande capacidade de processamento, como é o caso do Power8 da IBM. “Os dados biométricos são muito ricos e seu processamento envolve um grande número de combinações diferentes, com algoritmos complexos”, explica.

Além da aplicação na autenticação de clientes em instituições financeiras, lojas virtuais e contact centers (em transações por telefone, internet ou dispositivos móveis), o uso de biometria de voz e de face traz vantagens também para empresas com grande número de funcionários, que precisam de segurança no acesso às aplicações corporativas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor