Ações do PayPal voltarão a ser negociadas em bolsa após cisão com eBay

e-Marketinge-PaymentMobilidadeNegócios

O sistema de pagamentos eletrônico PayPal anunciou que voltará a cotar ações na bolsa eletrônica Nasdaq, que concentra a negociação dos papéis de todas as companhias de internet nos Estados Unidos, com capital aberto. Isso deve ocorrer quando acontecer a cisão da companhia com a gigante de comércio eletrônico eBay, até o terceiro trimestre deste

O sistema de pagamentos eletrônico PayPal anunciou que voltará a cotar ações na bolsa eletrônica Nasdaq, que concentra a negociação dos papéis de todas as companhias de internet nos Estados Unidos, com capital aberto.

PayPal

Isso deve ocorrer quando acontecer a cisão da companhia com a gigante de comércio eletrônico eBay, até o terceiro trimestre deste ano. “Agora que vamos dar este passo para voltar a cotar de maneira independente, abrimos um novo capítulo na história do PayPal com um conjunto sem precedentes de ativos e vantagens”, disse o presidente da companhia, Dan Schulman, às agências de notícias norte-americanas.

O PayPal deverá ser listada como “PYPL” no indíce das Nasdaq, o mesmo que nome que utilizava antes de ser adquirido pelo eBay, que realizou a aquisição do sistema de pagamentos em 2002, por um total de US$ 1,5 bilhão em valores da época, segundo destacou o presidente da companhia que divide a cidade sede de Palo Alto, Califórnia (EUA), com outras companhias de internet como a rede social Facebook e a gigante de eletrônicos, Hewlett-Packard (HP).

O executivo-chefe da eBay, John Donahoe, tinha assegurado em setembro passado que o conselho de administração aprovou a cisão do negócio em duas empresas diferentes para melhorar a competitividade do popular sistema de pagamentos. O eBay anunciou no final de abril que no primeiro trimestre do ano obteve um lucro líquido de US$ 626 milhões (US$ 0,51 por ação), enquanto seu faturamento subiu 4%, para US$ 4,448 bilhões.

Também no primeiro trimestre, o PayPal cresceu 18%, com um volume total liquido de pagamentos, da ordem de US$ 61 bilhões, com volume de serviços comerciais em expansão de 26%. A companhia conquistou cerca de 3,6 milhões de novas contas ativas no período, uma expansão de 11%, que totaliza mais de 165 milhões de contas e processou mais de 1 bilhão de transações nos três primeiros meses do ano, uma alta superior a 24%, em comparação com o mesmo período de 2014.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor