118 mil linhas móveis foram ativadas em abril

MobilidadeOperadorasRedes

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que o Brasil terminou o mês de abril com cerca de 283,52 milhões de acessos móveis, o que representa uma adição de aproximadamente 120 mil acessos no mês. A Vivo, marca da Telefônica Brasil, permaneceu na liderança do mercado, com participação de mercado de 29,20%, seguida pela TIM

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que o Brasil terminou o mês de abril com cerca de 283,52 milhões de acessos móveis, o que representa uma adição de aproximadamente 120 mil acessos no mês.

anatel

A Vivo, marca da Telefônica Brasil, permaneceu na liderança do mercado, com participação de mercado de 29,20%, seguida pela TIM Participações com 26,62% do mercado, em terceiro a Claro 25,25% e a última das quatro maiores teles do País, Oi, ficou com uma fatia de 17,68% do market-share.

Mesmo com o alto número de linhas móveis ativas em todo o País, a Anatel havia notificado as operadoras no início do mês, indicando que os níveis de acesso às redes de voz e dados precisam ter índices de qualidades superiores. Os indicadores avaliam a disponibilidade da do sinal quando o usuário realiza uma conexão de internet ou ligação.

O índice, segundo a agência precisa estar acima dos 95%. As estatísticas de queda das redes para voz e dados e que medem também a taxa de desconexões sem interferência do usuário, precisam estar abaixo dos 5%, conforme a resolução a agência reguladora, em comunicado de maio.

Todas as operadoras do País, sendo as quatro maiores, Claro, TIM, Oi e Vivo, além da Nextel que há menos tempo está na operação de telefonia 3G e das regionais Algar Telecom (Antiga CTBC de Uberlândia) e Sercomtel (Londrina), estão sujeitas à decisão.

Ainda de acordo com o despacho publicado pela Anatel em edição do Diário Oficial da União, da última semana, as companhias podem arcar com multa de até R$ 10 milhões, caso descumpram a meta. “As novas determinações resultam da avaliação dos resultados dos planos de melhorias aprovados pela Anatel em 2012, com duração de dois anos”, disse a agência. A Anatel concluiu que houve cumprimento parcial dos compromissos assumidos nos planos de melhoria e determinou a instauração de procedimentos de apuração de descumprimento de obrigações.

O números medidos pelo órgão em fevereiro deste ano mostram que a Claro cumpriu 93,7% dos indicadores de acesso e queda das redes; a TIM cumpriu 90,1%, a Oi 86,1%, a Vivo 83,8%, a Algar Telecom 63,9% e a Sercomtel, na lanterna, cumpriu apenas 50%.

O prazo para adequar a própria rede às determinações da Anatel varia dos seis até os 15 meses, dependendo do município. As teles terão que apresentar em um prazo menor, 60 dias, o plano para envio de SMS aos usuários, serviço que deve servir para para informá-los sobre o ranking de qualidade de rede, fornecido pela agência reguladora.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor