Oi investe R$ 32 milhões para aumentar capacidade no Norte do Brasil

MobilidadeOperadorasRedes

A operadora indicou que o cronograma do projeto de ampliação de capacidade das redes de transmissão ligando o estado do Amazonas ao trio Amapá, Pará e Roraima, que foi iniciado ainda em dezembro de 2014, deve concluir a sua primeira fase no segundo semestre deste ano. Batizado internamente de Projeto Linhão, ele deve ser finalizado

A operadora indicou que o cronograma do projeto de ampliação de capacidade das redes de transmissão ligando o estado do Amazonas ao trio Amapá, Pará e Roraima, que foi iniciado ainda em dezembro de 2014, deve concluir a sua primeira fase no segundo semestre deste ano.

oi

Batizado internamente de Projeto Linhão, ele deve ser finalizado com a instalação da tecnologia PTN (Packet Transmission Network) na rede de transporte de fibra ótica, o que poderá ampliar a capacidade atual de transmissão coltada a voz e dados nas redes de telefonia móvel e banda larga da operadora. De acordo com a Oi, nos primeiros três mese do ano foi investida uma quantia de aproximadamente R$ 32 milhões nas localidades dos quatro estados daquela região

A segunda fase do projeto, que prevê a implantação da tecnologia OTN/DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) por uma faixa territorial, que soma o percurso de 2,4 mil km de extensão entre os estados do Amazonas, Amapá e Pará, deve ser concluída no primeiro semestre do próximo ano, até junho de 2016.

Sergundo a companhia, as 11 cidades até então atendidas apenas por tecnologia via satélite passarão a ter infraestrutura de fibra ótica. entre as cidades atendidas pela novidade estão Itapiranga e São Sebastião do Uatumã, no Amazonas; Terra Santa, Alenquer, Santarém, Vitória do Xingu, Anapu, Pacajá, Tucuruí e Altamira, no Pará; Laranjal do Jari, no Amapá.

Quando for definitivamente concluído, o Projeto Linhão ampliará para mais de 3 Tb a capacidade de transmissão das redes de dados e voz da operadora brasileira nos quatro estados. Além disso, o Amazonas passa a contar com uma rota principal terrestre e outras duas vias de reforço da rede vão otimizar a proteção do backbone e ao mesmo tempo reduzir os impactos por falhas causadas nas redes por responsabilidade de terceiros.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor