Ascenty investe em rede própria de fibra óptica no NE

Data StorageEmpresasNegóciosOperadorasRedes

A Ascenty, que presta serviços de colocation, hosting gerenciado, cloud computing, ambientes híbridos, serviços gerenciados e telecomunicações, anunciou que colocará em operação uma nova rede de fibra óptica com 150 km de extensão, entre o município de Maracanaú e a região metropolitana de Fortaleza (CE). O objetivo é interligar seu novo centro de dados, localizado

A Ascenty, que presta serviços de colocation, hosting gerenciado, cloud computing, ambientes híbridos, serviços gerenciados e telecomunicações, anunciou que colocará em operação uma nova rede de fibra óptica com 150 km de extensão, entre o município de Maracanaú e a região metropolitana de Fortaleza (CE).

fibra2

O objetivo é interligar seu novo centro de dados, localizado em Maracanaú, às operadoras de telecomunicações que atuam na região e, ainda, à infraestrutura de cabos ópticos submarinos que conecta o Brasil a outros países do mundo.

“Será mais uma opção de conectividade que vamos oferecer às empresas da região”, afirma Pablo Campagnac, diretor geral Telecom da Ascenty. “A estratégia é a mesma que já adotamos no estado de São Paulo: prestar serviços de telecomunicações de qualidade, por meio de uma rede independente e neutra, às operadoras que precisam ampliar sua cobertura e, também, aos clientes que buscam alternativas de alta qualidade em conectividade”, explica.

Para garantir maior resiliência e disponibilidade de serviços, a Ascenty construiu três rotas distintas ligando seu data center à rede de cabos ópticos submarinos, que sai de Fortaleza levando sinais de comunicação para vários países. “Além disso, nosso data center está sendo interligado às redes das operadoras de telecom da região e ao PTT (ponto de troca de tráfego) da internet em Fortaleza”, acrescenta.

No estado de São Paulo, a rede de fibras ópticas própria da Ascenty já ultrapassou 3.500 km de extensão. Essa infraestrutura é usada pela empresa para conectar seus centros de dados – instalados em Campinas, Jundiaí (ambos em plena operação) e Hortolândia (em construção) – a outros data centers existentes no estado e às operadoras de telecomunicações. “Várias operadoras também utilizam essa rede para aumentar sua cobertura, capilaridade e dar melhor atendimento aos seus clientes”, acrescenta Campagnac.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor