Cisco e Universidade de SE avançam em áreas de parceria

EmpresasGestão de RedesNegóciosRedesSoftware

A companhia e a o centro federal de educação superior anunciaram o avanço de uma parceria iniciada com a implantação do projeto-piloto de Telemedicina em 2014. Segundo ambas, um novo convênio de cooperação técnica firmaram , com a intenção de promover ações conjuntas destinadas à inovação nas áreas de saúde, educação, Óleo e Gás. O

A companhia e a o centro federal de educação superior anunciaram o avanço de uma parceria iniciada com a implantação do projeto-piloto de Telemedicina em 2014. Segundo ambas, um novo convênio de cooperação técnica firmaram , com a intenção de promover ações conjuntas destinadas à inovação nas áreas de saúde, educação, Óleo e Gás.

cisco4

O acordo prevê atividades de ensino, pesquisa e extensão, aproveitando a infraestrutura do projeto-piloto de Telemedicina e a infraestrutura do Centro de Inovação IoE Cisco Rio de Janeiro. A iniciativa de Telemedicina utiliza algumas ferramentas de Cisco, como o “Show and Share”, “WebEx” e “Jabber”.

Os esforços da Universidade Federal do Sergipe no atendimento especializado à distância são utilizados para monitoria remota da saúde de crianças da zona rural de Sergipe, suporte esse utilizado nas clínicas de saúde da família dos municípios de Lagarto e Tobias Barreto e também na educação continuada dos profissionais de saúde que prestam o serviço à comunidade.

Segundo a diretora de estratégia e planejamento da Cisco Brasil, Nina Lualdi, O convênio de cooperação entre a Cisco e a Universidade Federal de Sergipe reúne alguns aspectos fundamentais. “É uma referência real de soluções de TI aplicadas com sucesso nas áreas da saúde, educação e óleo e gás. Além disso, abrimos uma porta de diálogo sobre a adoção de novos processos organizacionais para a inovação e por fim, ajudamos a consolidar uma ponte entre iniciativa a privada e a academia, estimulando o co-desenvolvimento de novas soluções, úteis para o mercado e para a sociedade”, explica.

Recentemente, a Cisco divulgou os primeiros resultados do projeto, em um relatório que apontou a ajuda da telemedicina para a melhoria da qualidade do atendimento e também para reduzir a necessidade de longos deslocamentos das famílias até o atendimento de médicos especialistas. O projeto-piloto foi concluído oficialmente no final de abril deste ano, quando a UFS ficou responsável por continuar a produzir e supervisionar o avanço do programa.

Agora, com um novo convênio de cooperação técnica firmado, a parceria entre a ambas deve ajudar em outra fase, na qual dá continuidade às atividades na área da Saúde, além de ampliar a infraestrutura de estudo sobre a inovação nas áreas de educação e de óleo e gás. O convênio representa um importante canal aberto entre o setor de inovação e a academia, tanto para o trabalho e co-desenvolvimento de pesquisas com outras universidades, assim como no desenvolvimento de soluções específicas para estes segmentos.

Entre as atividades previstas para o segmento educação, por exemplo, estão programas de aprimoramento de professores da universidade com o uso de tecnologias no ambiente educacional, workshops para o planejamento e desenvolvimento de soluções alinhadas ao plano diretor de tecnologia de educação, além de assistência metodológica. Já na área de óleo e gás, os pesquisadores da instituição terão acesso aos projetos pioneiros desenvolvidos pela Cisco no centro de inovação.

Já na área da saúde, as ações deverão ser ampliadas para aumentar a utilização dos recursos de Telemedicina, o que pode estimular o diálogo para adoção de novos processos tecnológicos. A cooperação técnica inclui ainda o intercâmbio de experiências para a evolução dos processos no centro de práticas em medicina da UFS, a participação remota de profissionais em eventos e um laboratório de testes na Universidade, com o ensino prático e simulações para estudantes (como cirurgias e procedimentos), contando com as soluções do Centro de Inovação.

Para o reitor da Universidade Federal de Sergipe, Angelo Roberto Antoniolli, a instituição tem a intenção de construir um novo modelo de relacionamento maior entre a universidade e a sociedade. “Temos insistido muito na crença de que por meio do contato entre a universidade, empresas e a comunidade poderemos alcançar ajudar a remediar problemas em uma sociedade tão desigual como é a nossa. A tecnologia faz parte do desenvolvimento e temos consciência de que não vamos avançar se mantivermos o desenvolvimento educacional no passo atual. Com a ajuda da Cisco e de suas tecnologias, poderemos ultrapassar aprender a utilizar novas ferramentas educacionais”, finaliza.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor