Dinheiro móvel cresce na América Latina

EmpresasMobilidadeNegócios
1 0 Sem Comentários

Na primeira edição latino-americana do GSMA 360 Series, que acontece até hoje no Rio de Janeiro, a GSMA apresentou o relatório de uma aprofundada análise de serviços financeiros móveis, seus modelos comercias e abordagens regulatórias na região da América Latina e Caribe. De acordo com a entidade, que representa mais de 800 operadoras pelo mundo,

Na primeira edição latino-americana do GSMA 360 Series, que acontece até hoje no Rio de Janeiro, a GSMA apresentou o relatório de uma aprofundada análise de serviços financeiros móveis, seus modelos comercias e abordagens regulatórias na região da América Latina e Caribe. De acordo com a entidade, que representa mais de 800 operadoras pelo mundo, o crescimento na região não só é extremamente positivo como reflete o forte investimento em inovação por parte da operadores de telefonia móvel.

gsma 360 joao mesquita bit br

Nada será como antes, o esforço que precisa ser feito por parte das operadoras e dos seus fornecedores de tecnologia e serviços é enorme. A aposta na inovação para a criação de produtos, aplicações, e serviços dedicados ao dinheiro móvel é uma realidade em crescimento. Uma oportunidade sem igual para os inovadores, que inclui a inversão de paradigmas.

É possível que num futuro muito próximo as operadoras de telefonia móvel realizem operações que hoje são exclusivas aos bancos. Um número imenso de questões serão levantadas, mas não se pode fugir a uma realidade que é evidente dentro de muito pouco tempo: o número de celular de um cidadão será tão ou mais importante que o número de RG.

Existe na América Latina um enorme faixa de cidadãos quem não são clientes da bancos e que se tronaram clientes de soluções de dinheiro móvel na primeira oportunidade. Para a indústria, esta é uma oportunidade de grande escala, que envolve desenvolvedores, especialistas em segurança digital, analistas de dados, sociólogos, psicólogos, entre outros profissionais que já estão a campo trabalhando em soluções sólidas e com credibilidade. O mais interessante neste processo é que o leque de opções será enorme, permitindo uma escolha vasta, proporcionando aos potenciais clientes escolher os serviço que mais se encaixe em seus perfis.

O Relatório GSMA – Serviços financeiros móveis na América Latina
Tendo como base de estudo os projetos em andamento, modelos comerciais e abordagens regulatórias, o relatório enfatiza os avanços importantes na adoção do dinheiro móvel na região, demonstrando que quase dois terços dos mercados têm pelo menos um serviço de dinheiro móvel. Atualmente, há um total de 37 serviços móveis financeiros, responsáveis por aproximadamente 14,9 milhões de contas de dinheiro móvel registradas em 19 países da região.

Numa análise dos modelos comerciais empregados nos diferentes mercados, este estudo discutiu a evolução regulatória que ajudou a moldar a indústria e investigou os dados demográficos entre outros fatores de mercado que desempenham um papel crucial no desenvolvimento e crescimento de novos modelos de negócios para o dinheiro móvel.

O estudo observou que, apesar de existir um grande número de adultos com contas bancárias, ainda existe uma quantidade significativa de cidadãos da América Latina não bancarizados. O que facilmente se conclui é que os serviços de dinheiro móvel são uma ferramenta de elevado potencial para ampliar o acesso financeiro nestes mercados, possibilitando a democratização das transações financeiras.

Embora nesta fase não exista um modelo comercial padronizado para estes serviços, é necessário que a regulamentação permita que bancos – e não bancos – forneçam serviços de dinheiro móvel. No último ano, a região apresentou o crescimento mais rápido em registros de novas contas de dinheiro móvel do mundo. Um grande número de implementações também está chegando, com três serviços de dinheiro móvel ultrapassando mais de 1 milhão de clientes ativos até abril de 2015.

A partir de dezembro de 2014, mais de um quarto de todas as transações de dinheiro móvel na região da América Latina e Caribe foram transações que envolviam terceiros, como pagamentos de contas, pagamentos volumosos e pagamentos de comerciantes, que eram de apenas 14% em 2012. Por comparação, na África Oriental, considerada a região das implementações de dinheiro móvel mais bem-sucedidas do mundo, apenas 6% de todo o volume de transação foram operações do ecossistema.

Os dados estão lançados, e as conclusões são de fato bastante animadoras para o mercado das telco, empreendedores, e desenvolvedores, que estão atentos a esse novo filão, ávido por soluções impactantes.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor