Falhas de Vivo e Claro comprometem clientes em São Paulo e no Maranhão

NegóciosOperadorasProjetosRedesService Provider

Um problema em uma estrutura da operadora Vivo, em São Paulo, tem afetado clientes corporativos desde a madrugada de segunda-feira. Em paralelo, erros da própria operadora e de sua concorrente, Claro, obrigaram ambas a fornecer Wi-Fi grátis no nordeste. No sudeste, entre os problemas de rede que afetam milhares de clientes corporativos que estão sem

Um problema em uma estrutura da operadora Vivo, em São Paulo, tem afetado clientes corporativos desde a madrugada de segunda-feira. Em paralelo, erros da própria operadora e de sua concorrente, Claro, obrigaram ambas a fornecer Wi-Fi grátis no nordeste.

Vivo-Brasil

No sudeste, entre os problemas de rede que afetam milhares de clientes corporativos que estão sem redes telefônicas e de dados, todos os serviços corporativos do UOL, como o atendimento telefônico da companhia e links de clientes dos data centers UOLDiveo, contatos do PagSeguro e Suporte de TI do UOL Host reportaram queda total ou instabilidade nos serviços.

Em nota a Telefônica Vivo confirmou a existência da instabilidade. “desde a madrugada de segunda-feira os clientes corporativos da cidade de São Paulo encontram dificuldades para utilizar serviços de voz e dados das rede nossas redes em função de uma falha em um grande equipamento da rede”.

Apesar de reconhecer o problema, a empresa ainda não tornou pública a especificação da falha, nem em qual central ela ocorreu. Apenas ressaltou que a normalização da sua infraestrutura “teve na manhã de segunda e será concluída no menor prazo possível”, sem também especificar qual o prazo final para extinção dos problemas.

Além das dificuldades que assolam as companhias que utilizam os serviços da Telefônica no sudeste, os consumidores finais é quem sofrem com a falta de sinal e queda nas funções de rede como ligações de voz e navegação com o uso de dados, dessa vez na capital maranhense. Não só a Vivo, mas também a Claro, do grupo mexicano América Móvel, foram obrigadas na semana passada a fornecer internet sem fio gratuita nos terminais de ônibus dos bairros São Cristóvão e Cohama, em São Luís, para compensar problemas de prestação de serviço em toda a cidade. O fornecimento da conexão foi fruto de um acordo entre as operadoras e a fundação Procon-MA .

As empresas têm até seis meses para disponibilizar o link de internet Wi-Fi, que deve ficar nessas localidades por cinco anos, segundo o estabelecido no acordo. Os usuários de transporte público desses terminais de ônibus poderão acessar a internet por até 40 minutos ao dia.

A punição com a prestação de serviços públicos como contrapartida de problemas entre as teles não é inédita, já que a Oi foi obrigada em abril a disponibilizar ligações gratuitas nos seus orelhões de 15 estados brasileiros, para reparar o não cumprimento da meta de disponibilidade de aparelhos públicos, nas mesmas localidades bonificadas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor