Investidores brasileiros irão a Israel em busca de inovação

EmpresasNegócios

Uma Missão para Israel está sendo organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Anjos do Brasil, a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) e a Missão Econômica de Israel, em parceria com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), administrador do Fundo Multilateral de Investimentos (FUMIN). O objetivo é

Uma Missão para Israel está sendo organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Anjos do Brasil, a Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP) e a Missão Econômica de Israel, em parceria com Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), administrador do Fundo Multilateral de Investimentos (FUMIN).

IsraeliFlags1

O objetivo é posicionar o Brasil como um país com ambiente propício para a inovação e estimular o desenvolvimento de empresas inovadoras.

As entidades levarão cerca de 20 investidores anjo e gestores de fundos brasileiros para Tel Aviv. De 31 de maio a 4 de junho, os participantes da missão poderão estabelecer um relacionamento com os investidores e as empresas da região com potencial para se estabelecer no Brasil, além de entender a cultura de um dos ecossistemas mais inovadores da atualidade.

Com mais de 40 horas de programação divididas entre conteúdo e visitas técnicas, a missão conta com palestrantes como Avi Hasson, cientista Chefe do Ministério da Economia de Israel, Jon Medved, da Our Crowd, e Ziv Aviram, da Mobileye. Entre os locais das visitas técnicas estão: a agência de atração de Investimentos de Israel (Invest in Israel), o Centro de Empreendedorismo da Universidade de Tel Aviv (StarTau), além dos mais destacados Fundos de Investimento israelenses, como o Pitango, e aceleradoras.

“Os Estados Unidos e o Reino Unido são os alvos prioritários para buscarmos recursos para investimentos no país. No entanto, precisamos diversificar o risco dos gestores brasileiros em processo de fundraising, pois acabam ficando muito expostos às oscilações desses mercados. Por isso estamos iniciando, com esta missão, o processo de abertura em direção a demais países com ecossistema de investimentos em participação mais amadurecidos”, explica o presidente da Apex-Brasil, David Barioni Neto.

De acordo com levantamentos estatísticos da Emerging Markets Private Equity Association (EMPEA), cerca de 1,7% do PIB de Israel está em fundos de investimento. “Israel é um mercado relativamente pequeno com uma posição geográfica não muito favorável. Para os nossos gestores é importante entender como empresas se desenvolvem, se capitalizam e fazem suas saídas. Para entender o processo é necessário entender a participação de cada player desde as aceleradoras, startups e firmas de venture capital. Através desse contato esperamos não somente entender melhor sobre o ecossistema como também conhecer os principais agentes nesse cenário e incentivar investimentos e parcerias entre os países” relata Fernando Borges, presidente da ABVCAP.

No Brasil, um dos principais desafios dos empreendedores é o acesso ao capital semente, modalidade de investimento que aposta na fase inicial de um negócio, fornecendo recursos para estruturar e alavancar o crescimento de uma empresa. “Esta é uma excelente oportunidade de aproximação dos investidores anjo brasileiros com os principais players do ecossistema de capital empreendedor de Israel para que eles possam vivenciar as tendências em modelos de negócios inovadores e as novas tecnologias. É importante que nossos investidores anjo se aproximem da vanguarda e entendam as boas práticas e melhores tendências em investimento para terem sucesso nesta atividade”, explica Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva da Anjos do Brasil.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor