Lenovo sobe pouco em 2014 e HP dispara no trimestre

Negócios

Enquanto a chinesa líder de vendas no mundo fechou o ano passado com alta sutil nas vendas de PCs globais, a gigante norte-americana de hardware e vice-líder do mundo em PCs lucrou mais de US$ 1,01 bilhão no primeiro trimestre deste ano. No caso da Lenovo, o lucro líquido anual da companhia cresceu 1%, para

Enquanto a chinesa líder de vendas no mundo fechou o ano passado com alta sutil nas vendas de PCs globais, a gigante norte-americana de hardware e vice-líder do mundo em PCs lucrou mais de US$ 1,01 bilhão no primeiro trimestre deste ano.

lenovo-showroom

No caso da Lenovo, o lucro líquido anual da companhia cresceu 1%, para US$ 829 milhões, volume ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas de mercado. O número, segundo informações da agência Bloomberg, foi enormemente atrapalhado pela intensa concorrência no mercado chinês de smartphones, principalmente em mercado emergentes. Isso ocorre porque as marcas de smartphones pela Lenovo não mantiveram o desempenho que a companhia apresenta entre os computadores pessoais.

Os dispositivos móveis vendidos no mundo todo sob a marca Motorola e na Ásia sob a marca Lenovo, não são líderes de venda em nenhum mercado, ainda que apresentem boas performances de vendas. A disputa por este mercado se acirra cada vez mais entre os aparelhos da gama média vendidos por gigantes como as coreanas Samsung e LG, a taiwanesa Asus, as norte-americanas Apple e Microsoft Devices e a japonesa Sony, além da mais nova dor de cabeça de todas elas: a líder do mercado chinês – o maior do mundo em smartphones – Xiaomi.

Analistas haviam estimado lucro líquido do Grupo Lenovo em aproximadamente US$ 857 milhões. A receita durante o ano fiscal de 2014/15 subiu 20%, para US$ 46,3 bilhões, com o aumento na fatia de mercado de PCs da companhia, para um quinto. Somente no quarto trimestre, a receita cresceu 21%, para cerca de US$ 11,3 bilhões.

A Lenovo indica ainda que as vendas de PCs, de longe o maior negócio da companhia, cresceram em todas as regiões geográficas em que atua ao redor do globo, mas apontou a Europa, em particular, como uma área de crescimento exponencial. As vendas de computadores no segmento corporativo cresceram 3% na comparação com 2013, apesar de uma queda de 3% no mercado consumidor, segundo balanço da empresa.

Já a norte-americana Hewlett-Packard, segunda maior fabricante de computadores pessoais do planeta, divulgou lucro trimestral acima das estimativas do mercado, ajudada por cortes de custos. O lucro líquido da HP caiu para US$ 1,01 bilhão, ou US$ 0,55 por ação, no trimestre encerrado em 30 de abril.

Ainda que o resultado não pareça positivo, já que houve queda entre os mesmos períodos de 2014 e 2015, o resultado esperado pelo mercado era ainda pior, por isso a animação dos analistas com os resultados finais apresentados pela companhia para o período. Nos primeiros três meses do ano passado, a empresa havia faturado US$ 1,27 bilhão ou US$ 0,66 por ação.

A companhia indicou que os resultados melhores do que o esperado tiveram parcela de mérito depositada em sua cisão, que pode resultar em sinergias na casa dos US$ 400 milhões ou US$ 450 milhões, sem precisão exata ainda. A empresa indicou que está em processo de separação de suas unidades de computadores e de impressoras do negócio de hardware corporativo e operações de serviços, este último, que apresentou crescimento de mercado considerado surpreendente por analistas, nos últimos três anos.

No resultado final do período, a companhia lucrou US$ 0,87 por ação. Em média, analistas esperavam um lucro de US$ 0,85 dólar, de acordo com os indicadores da Thomson Reuters.

A receita do período caiu para US$ 25,45 bilhões, ante os US$ 27,31 bilhões alcançados no trimestre anterior. A empresa projetou um lucro ajustado de US$ 0,83 a US$ 0,87 por ação no quarto trimestre do último ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor