Pesquisa indica que 4G representa menos de 3% das conexões na América Latina

4GMobilidadeOperadorasRedes

As redes de telefonia móvel ultrarrápida de quarta geração (4G) representam apenas 2,4% das 683 milhões de conexões móveis da América Latina no primeiro trimestre deste ano, abaixo da média mundial de 8,4%, segundo um estudo realizado pela consultoria especializada em telecomunicações móveis, GSMA. A migração para o 4G tem uma série de barreiras como

As redes de telefonia móvel ultrarrápida de quarta geração (4G) representam apenas 2,4% das 683 milhões de conexões móveis da América Latina no primeiro trimestre deste ano, abaixo da média mundial de 8,4%, segundo um estudo realizado pela consultoria especializada em telecomunicações móveis, GSMA.

4g2

A migração para o 4G tem uma série de barreiras como custo do serviço, dificuldades na implantação da infraestrutura e um ambiente macroeconômico desafiador, segundo Amadeu Castro, diretor da GSMA Brasil.

O diretor da GSMA Latin America, Sebastian Cabello, indicou que existe grande possibilidade de crescimento e expansão de rede e uso do 4G na região. “As operadoras de telefonia móvel da América Latina estão investindo bilhões na aquisição de licenças e no desenvolvimento de infraestrutura 4G, apesar dos desafios de oferta e demanda. Várias operadoras estão fazendo investimentos, apesar do declínio da receita decorrente dos serviços tradicionais das operadoras, como o serviço de voz”, afirmou.

A expectativa da entidade é que em 2020 as redes 4G sejam responsáveis por 28% das conexões móveis da América Latina e estima que as redes 3G representem 51% das conexões. Estima-se que as despesas com capital das operadoras totalizem aproximadamente US$ 170 bilhões no período de seis anos, entre 2015 e 2020, um aumento sobre os US$ 106 bilhões investidos ao longo dos últimos seis anos.

O Brasil, que completou dois anos de uso do 4G no final do mês de abril, fechou março com 209 milhões de acessos em banda larga, o que representou um crescimento de 43% frente a março de 2014. Segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), no período de doze meses, entre abril de 2014 e março deste ano, 63 milhões de novos acessos foram ativados, num ritmo de ativação de duas novas conexões por segundo.

A banda larga móvel, pelas redes de 3G e 4G, liderou a expansão dos acessos à internet, chegando em março a 184,4 milhões de conexões, com 50% de crescimento em relação a março de 2014. A banda larga pela tecnologia de quarta geração (4G), que permite velocidade de conexão à internet até dez vezes mais rápida que a 3G, fechou março com 9,3 milhões de acessos, um incremento de 900 mil acessos novos em relação ao mês de fevereiro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor