Piratas não terão Windows 10 gratuito

EscritórioSistemas OperacionaisSoftware

Finalmente a Microsoft esclareceu um ponto que ficou nebuloso a respeito do Windows 10: a possível distribuição do sistema para usuários de versões piratas do Windows 7 e 8/8.1. Essa informação surgiu quando Terry Myerson, o responsável pelo Windows na Microsoft, afirmou em um evento na China que a atualização para Windows 10 poderá ser

Finalmente a Microsoft esclareceu um ponto que ficou nebuloso a respeito do Windows 10: a possível distribuição do sistema para usuários de versões piratas do Windows 7 e 8/8.1.

windows pirata

Essa informação surgiu quando Terry Myerson, o responsável pelo Windows na Microsoft, afirmou em um evento na China que a atualização para Windows 10 poderá ser feita em todos os PC compatíveis com o novo sistema operacional, mesmo que a versão do Windows que esteja sendo usada não fosse genuína.

Como anteriormente a companhia havia afirmado que alguns usuários poderiam fazer o upgrade gratuito para Windows 10, os rumores começaram fortes. E como não houve negação na época, ficou o dito pelo não dito.

Agora, o mesmo Terry Myerson declarou no blog oficial do Windows que a oferta de atualização sem custo não não se aplica a dispositivos rodando cópias não-genuínas do Windows.

As coisas, enfim, ficaram claras. O que muda em relação às versões anteriores é que os piratas poderão, por um preço ainda não divulgado, legalizar suas cópias direto com a atualização. Com o Windows 8 foi igual, mas o preço, quase o mesmo do sistema nas lojas, desanimou os pirateiros de carteira vazia.

Pelo menos a Microsoft encerrou a confusão, que poderia ser facilmente evitada se as declarações fossem dadas com todas as letras, no momento certo.

Se quiser acabar de vez com a pirataria, Redmond precisa encarar o problema de frente e fazer uma escolha séria. Não oferecer o sistema de graça aos piratas é um bom movimento, pois poderia enfraquecer sua marca e penalizar quem pagou de forma legítima pelas versões anteriores. Porém, a única forma de “limpar a casa” é oferecer o upgrade a um preço bem agressivo, que desencoraje o trabalho que dá procurar seriais, aplicar patches e ficar burlando mecanismos de proteção.

Se o preço for convidativo, o usuário que optou pela pirataria por falta de condições certamente vai migrar para o original.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor