Positivo informática tem forte alta nos lucros

EmpresasEscritórioMobilidadeNegóciosPC

A variação cambial, que prejudicou o caixa de muitas empresas, acabou ajudando nos resultados financeiros da Positivo Informática. A companhia paranaense obteve lucros 911% maiores no primeiro trimestre, comparado ao mesmo período do ano passado, em parte pela forte desvalorização do Real perante ao Dólar. Em dinheiro, os resultados representam ganhos de R$ 11,5 milhões

A variação cambial, que prejudicou o caixa de muitas empresas, acabou ajudando nos resultados financeiros da Positivo Informática. A companhia paranaense obteve lucros 911% maiores no primeiro trimestre, comparado ao mesmo período do ano passado, em parte pela forte desvalorização do Real perante ao Dólar.

positivo-revista1-17

Em dinheiro, os resultados representam ganhos de R$ 11,5 milhões para os três primeiros meses do ano. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), porém, foi de apenas R$ 200 mil, o que significa um recuo de 99,3%, na mesma comparação com janeiro, fevereiro e março do último ano.

A companhia explica que a queda do resultado operacional foi causada pelo maior custo em reais de insumos, em função da valorização do dólar, pelo reconhecimento de ganhos extraordinários na rubrica “outras receitas operacionais” no primeiro trimestre do ano passado e pela baixa diluição da estrutura fixa causada pelo menor faturamento. A margem Ebitda caiu 4,7%, para mínguo 0,1%.

A companhia, em informe enviado aos investidores, explica também que “o mercado brasileiro de PCs e tablets apresentou volumes modestos no início de 2015”. Segundo a Positivo o desaquecimento da economia, provocado pela queda da confiança do consumidor, inibiu um maior giro destes produtos no varejo, especialmente em janeiro e em fevereiro.

Já em março, os principais institutos que acompanham o mercado estimaram uma queda de volume sell-in próxima a 20% em relação ao primeiro trimestre do último ano, também motivada pelos repasses de preço praticados pela indústria de eletrônicos. A redução de entregas nas negociações feitos com governos e órgão públicos contribuiu para o desempenho negativo, já que em 2014, o segmento concentrou as atividades no primeiro semestre, período que antecedeu as eleições majoritárias.

Ainda segundo o comunicado, a exceção tem sido o mercado de telefones celulares, que registra ótimas performances de vendas, mesmo com a crise econômica. Por isso, espera-se que as vendas de smartphones da Positivo apresentem crescimento de dois dígitos este ano, já que a empresa enxerga grande espaço para aumento de penetração dos produtos na classe média e o curto ciclo de reposição de smartphones velhos ou de primeiros aparelhos, caracteriza desse mercado. É preciso lembrar, no entanto, que todas as companhias que já comercializam aparelhos móveis no País vão enfrentar, no começo do segundo semestre, a entrada no mercado da Xiaomi, gigante chinesa que em pouco mais de cinco anos de existência foi líder de vendas em seu mercado natal, o maior do mundo.

No segmento de celulares, os institutos de pesquisa apuraram crescimento de cerca de 25% no mercado de smartphones. Em linha com o desempenho do mercado, a Positivo Informática registrou contração na venda de PCs e tablets, especialmente devido à queda de 53,3% das entregas no mercado de governo, que a paranaense indica liderar. Em conversa com a B!T Magazine, no lançamento do modelo Positivo Octa, em fevereiro deste ano, o presidente da Positivo Informática, Hélio Rotenberg e o Vice-presidente de mobilidade da companhia, Norberto Maraschin Filho, indicaram que até aquela altura, a companhia tinha cerca de 1,5% do mercado nacional de celulares.

Também na oportunidade, os executivos apontavam a manutenção da liderança com 16,8% do mercado de desktops e notebooks, posto que perdeu esta semana, quando a concorrente norte-americana Dell anunciou a conquista de 15,8% da participação do mercado brasileiro de PCs, no primeiro trimestre de 2015, indicador avalizado por recente relatório divulgado pela consultoria IDC Brasil.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor