Amadeus implanta OpenShift da Red Hat como base para infraestrutura de aplicativo na nuvem

CloudHOMEOpen-SourceSoftware

A Red Hat, líder mundial de soluções de código aberto, anunciou que o provedor tecnológico global de viagens Amadeus está construindo sua própria plataforma automatizada de alta disponibilidade e self-service na nuvem – o Amadeus Cloud Services – na OpenShift Enterprise, a plataforma de aplicativos na nuvem privada da Red Hat.

A Amadeus é um provedor dm soluções tecnológicas avançadas para a indústria global de viagens, que atende grupos de clientes que incluem companhias aéreas, aeroportos, hotéis, empresas de transporte ferroviário, agências de viagens, além de empresas de gerenciamento de viagens.

A companhia desejava atualizar a plataforma que conecta todas essas partes interessadas, e que permite aos clientes da indústria de viagens acessarem conteúdo e ferramentas de viagem por meio de uma única fonte.

O datacenter da Amadeus fica localizado em Erding, Alemanha, e processa mais de 30.000 transações de usuário final por segundo, durante o pico das operações. Contudo, com o aumento exponencial das demandas por transações de dados, vários clientes da Amadeus queriam um aplicativo de viagens que pudesse ser executado localmente ou que pudesse ser acessado por meio de plataformas em nuvem pública, privada ou híbrida. Para satisfazer essas solicitações a partir de mais de 12.000 dispositivos de infraestrutura, as equipes de TI da Amadeus analisaram várias soluções de código aberto para o desenho e a arquitetura da infraestrutura e armazenamento de aplicativos e escolheram, por fim, o OpenShift Enterprise da Red Hat para início da criação e execução do aplicativo localizado em nuvem privada, projetado para atender a demandas específicas dos clientes. A Amadeus escolheu então o OpenShift para construir a solução Amadeus Cloud Services, a qual pretende implantar gradualmente, para atender aos clientes Amadeus da indústria de viagens.

O interesse da Amadeus no Docker e em armazenamento de aplicativos também tornou a arquitetura de armazenamento leve do OpenShift – que se integra originalmente ao Docker e Kubernetes, e é totalmente suportado pela Red Hat – perfeita para o ambiente, e o suporte à comunidade de código aberto que envolve o OpenShift também fortaleceu a colaboração, com os engenheiros da Amadeus contribuindo agora para a comunidade OpenShift Origin upstream. Essa visibilidade no código OpenShift permitiu que os engenheiros da Amadeus maximizassem os recursos atuais, integrando e monitorando os aplicativos middleware existentes dentro da plataforma OpenShift. A Amadeus também está apta para usar a recuperação automática, a escalabilidade e os recursos de planejamento de capacidade do OpenShift para reinstalar os aplicativos, quando necessário, reduzindo a necessidade de gerenciar pessoalmente cada um dos aplicativos da infraestrutura.

“Na Amadeus, quisemos continuar a nos aproximar muito mais de nossos clientes, do ponto de vista tecnológico, entregando aplicativos com mais rapidez e oferecendo uma plataforma muito mais flexível, que se adapta facilmente a mudanças e consegue acomodar diferentes modelos de negócios no processo. Apesar de ainda estarmos nas fases iniciais da implantação, já vimos que a flexibilidade da plataforma OpenShift e que o suporte que recebemos da Red Hat têm nos permitido começar a levar nosso aplicativo para o próximo nível e expandi-lo para uma base de clientes mais ampla”, afirmou em comunicado Dietmar Fauser, VP de Arquitetura, Qualidade e Governança da Amadeus.

Como parte do projeto, a Amadeus está aumentando a disponibilidade de sua plataforma de última geração, enquanto estimula a redução adicional da latência, ao mesmo tempo. Depois de totalmente implantado, a Amadeus espera também que o Amadeus Cloud Services otimize ainda mais as operações por meio da automação, enquanto reduz o tempo de colocação de novos serviços no mercado.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor