Apple cede a queda de braço com Taylor Swift por pagamento de streaming

AppsMobilidadeSmartphones

A Apple informou que vai rever sua política de pagamentos, após a decisão de pagar aos artistas ouvidos pelos usuários, durante o período gratuito de testes de seu novo serviço de streaming de músicas, o Apple Music.

A mudança ocorreu após a estrela pop norte-americana Taylor Swift afirmar que não iria disponibilizar seu álbum mais recente, intitulado “1989”, no serviço.

A Apple está oferecendo a usuários um período gratuito de teste por um período de até três meses do Apple Music e havia dito que não pagaria aos artistas pelo uso de suas músicas durante esse prazo.

O vice-presidente sênior da Apple, Eddy Cue, anunciou a mudança de postura no Twitter. “Ouvimos você @taylorswift13 e artistas independentes. Da Apple, com amor”, apontou a postagem no microblog.

Taylor Swift, de 25 anos, havia registrado no domingo em publicação de outra rede, o Tumblr, que não disponibilizaria o álbum por classificar como decepcionante, a política da Apple para o não pagamento de artistas, durante o período gratuito para usuários. Ela afirmou também que isso “prejudicaria artistas jovens que estão apenas começando”.

Um porta-voz da Apple confirmou à agência Reuters os tuítes do vice-presidente sênior, Eddy Cue e complementou, indicando que a empresa baseada em Cupertino, no estado da Califórnia (EUA), vai pagar aos artistas durante todo o período de três meses iniciais do Apple Pay.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor