BlackBerry cogita embarcar o sistema Android em nova linha de dispositivos

HOMEMobilidadeSistema OperacionalSmartphones

A fabricante de hardwares e softwares móveis canadense considera equipar um novo modelo de smartphone pela primeira vez com o software do Google, de acordo informações apurada pela agência Reuters, que ouviu fontes ligadas à companhia. O movimento seria um reconhecimento de que os novos dispositivos com sistema BlackBerry 10, fabricados pela empresa, não conseguiram

A fabricante de hardwares e softwares móveis canadense considera equipar um novo modelo de smartphone pela primeira vez com o software do Google, de acordo informações apurada pela agência Reuters, que ouviu fontes ligadas à companhia.

blackberry

O movimento seria um reconhecimento de que os novos dispositivos com sistema BlackBerry 10, fabricados pela empresa, não conseguiram se popularizar. Essa também seria uma reviravolta para a fabricante, que chegou a recusar publicamente que usaria o sistema Android, numa clara aposta, na época, à linha de telefones BlackBerry 10 como os modelos Z10, Q10 e Passport, por exemplo.

A canadense estaria, portanto, decidida a retomar o mercado de dispositivos que hoje é liderado pelos modelos de iPhone, da Apple, e dispositivos equipados com Android de diversas fabricantes, como Samsung, LG, Motorola, Huawei, Sony, Xiaomi e Asus.

As fontes, que falaram em condição de anonimato, afirmaram que o movimento para usar o Android é parte da estratégia da BlackBerry para se concentrar em software e gerenciamento de dispositivos. A empresa, que já dominou este mercado, tem participação atual menor que 1%, em todo o mundo.

Não está claro se a decisão de usar o Android significaria o fim da linha BlackBerry 10, lançada no início de 2013 com muitas ações de marketing e investimentos pesados em merchandising.

Os dispositivos da empresa não se posicionaram bem no mercado, mesmo após a loja de aplicativos Android, mantida pela Amazon, ser integrada ao BB10, principalmente para mitigar a falta de aplicativos, que sempre foi a principal reclamação dos usuários da companhia.

O movimento da empresa também pode ser uma saída para o atual comando sob as mãos de John Chen, conseguiu com relativo sucesso sanar perdas que atingiram até US$ 6 bilhões durante a gestão do ex-CEO, Thorsten Heins, mas que ainda não decolou com as receitas da empresa que nos últimos três trimestres apenas cobriram os custos e entregaram um lucro líquido de US$ 28 milhões.

“Nós não comentamos rumores e especulações, mas permanecemos comprometidos com o sistema operacional BlackBerry 10, que oferece benefícios de segurança e produtividade incomparáveis”, informou a companhia oficialmente por e-mail. O Google também se recusou a comentar o assunto.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor