Claro revê estratégia e inicia navegação grátis para redes sociais em todos os planos

e-MarketingGovernançaOperadorasProjetosRedesRedes SociaisRegulaçãoService ProviderVoIP

A companhia do grupo mexicano América Móvil voltou atrás e indicou a retomada da navegação grátis para Facebook e Twitter e inclusão da oferta pela primeira vez em parceria com o WhatsApp. O presidente da tele, Carlos Zenteno, afirmou nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva, que os consumidores em todas as frentes – pré-pago, controle e

A companhia do grupo mexicano América Móvil voltou atrás e indicou a retomada da navegação grátis para Facebook e Twitter e inclusão da oferta pela primeira vez em parceria com o WhatsApp.

Claro Headquarters Latin America

O presidente da tele, Carlos Zenteno, afirmou nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva, que os consumidores em todas as frentes – pré-pago, controle e pós-pago – serão beneficiados com nova promoção, que já vale a partir de hoje.

A medida pode ser vista como uma revisão da estratégia da operadora, que 45 dias atrás, em abril, havia anunciado o fim da navegação grátis nas redes.

Na época, os usuários da base e também novos clientes passaram a utilizar bônus proporcionais ao valor de recarga e com utilização livre, sem que para isso precisassem aplicar a bonificação em parceiros da Claro.

Zenteno justificou em abril que “apenas 1% da base utilizava apenas a navegação pelas redes sociais parceiras” , o que justificaria o bônus, encarado como uma iniciativa mais burocrática.

Apesar de não afirmar que a novidade é um retorno à estratégia de navegação grátis, também chamada de Zero Rating, ele afirmou que o uso por mensageiros explodiu no País, principalmente entre o grupo mais jovem de clientes.

“A companhia entendeu que a nova liberação deve fazer sucesso entre a enorme base pré-paga e serve como um plus para os clientes pós-pago e que inevitavelmente geram mais receitas de serviços com grande valor agregado”, argumentou.

Alem disso, o executivo ressalta que as redes sociais são a modalidade de navegação mais popular, em todo o mundo, para a tele. “As pessoas ainda consomem muito conteúdo de vídeo e browser, no entanto é irreversível a adesão absoluta de redes e mensageiros, como o WhatsApp”, afirmou Zenteno.

Perguntado sobre a potencial infração à neutralidade da rede, o executivo disse que diversas opiniões foram emitidas a esse respeito, mas indica que a situação atual do Marco Civil da Internet não está definida. “Se qualquer ação infringir a lei, a Claro se adequar para estar sempre dentro da legislação, mas enquanto não for definido qualquer tipo de regulação específica, nós entendemos que respeitamos a lei em vigor e que fornecemos planos ao gosto dos usuário”, disse ele.

A empresa é categórica ao dizer que a adesão esperada para a novidade não deve interferir na qualidade da rede. Questionado, o presidente da empresa no Brasil pontua que o ranking de entrega de redes produzido oela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), conta a favor da companhia.

“Nós atingimos 93% de satisfação no ano passado e continuamos líderes no primeiro trimestre [quando o índice caiu para 91,7%]. Isso é considerado pelo usuário, na hora dele optar pelos nossos serviços”, finaliza.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor