Facebook Messenger pode se tornar seu próprio fornecedor de mapas

EmpresasMobilidadeNegóciosSoftware

O aplicativo que o Facebook efetivamente forçou seus usuários a baixar em 2014, pode fazer frente à gigantes de mapas como Gmaps, Here e TomTom, para se tornar seu próprio fornecedor de sistemas cartográficos. Segundo informações apuradas pela agência Bloomberg, o app que já cumpre funções como enviar dinheiro de uma localidade para outra, GIFs,

O aplicativo que o Facebook efetivamente forçou seus usuários a baixar em 2014, pode fazer frente à gigantes de mapas como Gmaps, Here e TomTom, para se tornar seu próprio fornecedor de sistemas cartográficos.

facebook f8 messenger

Segundo informações apuradas pela agência Bloomberg, o app que já cumpre funções como enviar dinheiro de uma localidade para outra, GIFs, arquivos e realiza chamadas de voz gratuitas, pode a partir de agora ajudar os usuários a planejar seus destinos.

Na última semana a companhia anunciou que as pessoas poderão encontrar e enviar localizações de outros lugares, além de partilhar a sua própria localização usando o Messenger, o que já era possível a bastante tempo. Logo, se o usuário procura um local para jantar, um cinema e até um posto de gasolina mais próximo, será possível procurar, encontrar no mapa e até compartilhar a localização de tudo, sem sair do aplicativo.

O gerente do Facebook responsável pelo aplicativo, Stan Chudnovsky, indicou ao portal especializado TechCrunch, que o usuário “vai poder até efetuar reservas de um bar, lanchonete ou restaurante que planeja visitar com seus amigos, por exemplo”.

De acordo com o executivo, em breve também será possível traçar coordenadas para percorrer o itinerário até o ponto de interesse e escolher sob qual modal isso será feito (A pé, de transporte público e também particular), assim como já faz a alguns anos o Maps, do Google. “Como o usuário pode chegar até o local para onde planeja ir? Talvez a resposta para essa necessidade seja respondido com um serviço de transporte de alguma forma, que ainda estamos estudando e que não estará disponível tão rápido”, concluiu.

A possível entrada da rede social fundada por Mark Zuckerberg no segmento ocorre em meio à uma corrida de inúmeras companhias ligadas à tecnologia para a aquisição do Here, aplicativo de mapas da finlandesa Nokia.

O Google também anunciou na última semana que a plataforma Maps estará finalmente disponível de maneira offline para os usuários e a holandesa TomTom renovou no mês de abril o gigante contrato para o fornecimento de sistemas de mapas aos dispositivos da Apple como iPhones, iPads e veículos com sistema CarPlay.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor