Gol anuncia Wi-Fi para todas as aeronaves até 2018

NegóciosOperadorasRedes

Decisão da companhia aérea que é vice líder no País, vale para voos nacionais e internacionais, nos quais os o passageiros poderão acessar um sistema de Wi-Fi a bordo e uma plataforma de entretenimento, via conexão com satélite. A previsão é oferecer os serviços em todas as 131 aeronaves operadas pela empresa até o final

Decisão da companhia aérea que é vice líder no País, vale para voos nacionais e internacionais, nos quais os o passageiros poderão acessar um sistema de Wi-Fi a bordo e uma plataforma de entretenimento, via conexão com satélite.

gol-linhas-aéreas

A previsão é oferecer os serviços em todas as 131 aeronaves operadas pela empresa até o final de 2018 e a primeira aeronave totalmente equipada, já no primeiro semestre do ano que vem. A investida é sinalizada pela própria Gol como uma resposta à exigência de passageiros, que apontavam a falta de entretenimento nos voos como uma característica negativa da empresa.

Dessa forma, além de oferecer o sistema aos viajantes, a aérea pretende também elevar as fontes de receitas auxiliares da companhia, já que em alguns trechos o acesso à rede poderia ser cobrado, assim como inúmeras concorrentes já praticam, como por exemplo as norte-americanas American Airlines, United e Delta.

O passageiro terá uma combinação de conteúdo gratuito e pago, o que também inclui uma solução de televisão ao vivo gratuita, filmes, jogos, etc, que poderão ser acessado em dispositivos móveis como celulares, tablets ou notebooks e claro, nas telas instaladas à frente de cada assento. “Precisamos de um início conservador nessa plataforma paga, para atingir o equilíbrio entre custos e despesas. Após superar essa etapa, teremos um potencial interessante de receitas auxiliares”, afirmou o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, em comunicado.

Não foi informado qual o custo de instalação do sistema na frota inteira. Para o passageiro, o preço não deve ficar longe da média mundial em mercados domésticos, que gira em torno de US$ 10 a US$ 20 dólares para passageiros esporádicos e US$ 3 e US$ 5 pago pelos clientes mais assíduos, com milhagem alta.

O serviço é fruto de uma parceria não exclusiva com a fornecedora de redes Gogo. Segundo Kakinoff, a companhia aérea vai entrar agora em fase de aprovação regulatória e acredita que não terá dificuldades, já que aeronaves internacionais voam para o Brasil aplicações de Wi-Fi a bordo.

A empresa liderada por ele informou que será a primeira aérea da América do Sul e Central a oferecer acesso à Internet durante o período de voo, com conexão via satélite. A principal rival no mercado nacional, TAM, do Grupo Latam Airlines, não possui serviço similar.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor