Google lança rádio e entra no mercado de streaming gratuito

MobilidadeSmartphones

O gigante de internet baseado em Mountain View, no estado da Califórnia (EUA), lançou nesta semana uma estação de rádio gratuita com publicidade, transmitida por meio de sua plataforma paga de streaming, o Google Music.

Cerca de um ano após ter comprado o site de música on-line Songza, o Google lança sua rádio por streaming, seguindo os mesmos padrões. Na aplicação é possível escutar músicas sugeridas pelo Google, de acordo com uma análise do gosto musical, do humor ou da atividade do usuário como uma corrida, ou um período de descanso, por exemplo.

O Google lançou duas ofertas para este serviço específico, que por enquanto só está disponível para os consumidores dos EUA. A primeira oferta, sem publicidade, está reservada aos assinantes do Google Music, que já pagam US$ 9,99 por mês, sem ter que adicionar nenhum valor para aderir à novidade.

Já aqueles que não assinam Google Music terão acesso gratuito à mesma rádio, mas neste caso, com publicidade. O serviço está disponível para smartphones com os sistemas Android, do próprio Google e iOS, da Apple.

O novo serviço de rádio on-line chega para competir diretamente com outras rádios na internet, como Pandora e Sirius XM, além de serviços de música via streaming como o popular Spotify e o novíssimo Apple Music, apresentado no início desse mês pela fabricante do iPhone.

Ainda no contexto do recente conflito entre a Apple e a cantora Taylor Swift sobre as condições de remuneração dos artistas em seu novo serviço de streaming, o Google deixou claro que os artistas cujas canções sejam transmitidas em sua nova rádio on-line, serão remunerados normalmente.

“Esta rádio propõe uma nova maneira de encontrar música de acordo com o gosto do usuário e dá aos músicos uma nova oportunidade de receber a devida remuneração por seu trabalho”, afirmou a gigante, em seu blog oficial.

Diversos players já disputam o ultra competitivo mercado da música por streaming, como o francês Deezer, os Suecos Spotify e Tidal, além dos norte-americanos Rhapsody e Rdio.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor